quarta-feira, 8 de junho de 2022

É quase inverno...

O sol já nasceu... Eu nem vi...
Haviam tantas nuvens escuras
Assim não percebi, nem senti
Seu calor que é poderosa cura!
.
O infinito estava tão cinzento 
Criando nos meus olhos um véu
Meu olhar se vestiu de tormento
E não consigo admirar o céu...
.
Já é quase inverno. Chove lá fora
Dentro de mim encontrei alegria
E no meu coração tem amor agora!
.
Meu corpo quer o teu como cobertor
Doce excitação, deliciosa agonia
Que me impedem de desistir do amor 
.
Nádia Santos 
07/06/22

5 comentários:

  1. Nunca desista nem do amor físico nem do amor pela escrita. No amor físico não sei. Mas no amor da escrita é ... DIVINA.
    .
    Cumprimentos cordiais.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  2. NÁDIA,
    um novo amor nos impede de qualquer coisa ruim que possamos ver ou fazer. Essa anestesia bendita esquenta o corpo e faz explodir o coração, o resto...o resto pouco importa!
    Na oportunidade, como seu antigo seguidor, gostaria de convidá-la para ler minha última postagem no meu blog HUMOR EM TEXTOS, cujo titulo é 'PAIS E FILHOS : DIALOGOS MODERNOS.
    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  3. O amor e essência da vida e, portanto, nunca podemos desistir de vivenciá-lo em sua plenitude. Belíssimo a sua poesia!
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos

É quase inverno...

O sol já nasceu... Eu nem vi... Haviam tantas nuvens escuras Assim não percebi, nem senti Seu calor que é poderosa cura! . O inf...