terça-feira, 4 de outubro de 2016

Quando o sol adormece...


Quando o sol lentamente se põe
Sem saber aonde ele adormece
Fecho os olhos e suavemente
Um calor o meu corpo aquece

É pela doçura de sua imagem
Presa no fundo dos olhos meus
E de todos esses pensamentos
Meu amor, que são todos seus...

Quando o dia se torna noite
Desejo seus braços, minha paixão
Mas quem sorrateira me abraça,
Impiedosamente, é a solidão...

Nádia Santos
01/09/16

6 comentários:

  1. Lindo Nádia
    Sua poesia é cheia de amor
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso como sempre.

    Beijo e um dia feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Nádia... você para de escrever e volta.... mais talentosa ainda!!
    Delícia de mulher, de pessoa de poeta!!!!
    O poema é só LINDOOOO!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. A solidão é fera mesmo amiga.
    Bjs

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos