quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Sentir seu cheiro


O meu corpo, diariamente,
Reclama sua presença meu amor...
Querendo sentir seu cheiro de 
Homem envolvente... seu calor...
Quer beber seu suor avidamente
E vibrar quando ardentemente,
Com suas mãos, com sua boca
Tatuares todo meu corpo...
Apaixonadamente!
-Difícil é suportar essa espera,
 que aos poucos vai nos consumindo...

Nádia Santos
03/08/16


11 comentários:

  1. Um poema Sublime! Parabéns Nádia Santos.

    Bjos

    http://deliriosamoresexo.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Sempre lindos os teus poemas, minha amiga.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Intenso demais. Aliás, intenso demais nada... no ponto.

    ResponderExcluir
  4. Intenso.... lindo!
    Angustiante!!!!
    Tua caneta continua perfeita Nádia!!!!

    ResponderExcluir
  5. Sensual e bem profundo.
    Gostei muito Nádia.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Amiga,estou comentando agora,pois estive viajando e não vi suas publicações.
    Bjs com carinho.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  7. Uauuuu! Blog de cara nova! Ficou ótimo conterrânea! Sobre o poema... Pois é... A ausência do ser querido, amado, é morte em vida, é dura sorte. Que graça tem as horas se consumindo no vazio, se diluindo sem ter ninguém. A vida só vale pela emoção, por uma razão. A carência, a sólida solidão, um muro intransponível de angustia e tédio. Aquela pessoa a que tão bem nos acostumamos, que agora nos tem, é dona dos nossos pensamentos, nossos intentos, nossas intenções. Fazer o que, gostar é assim, o coração é território sem dono, é um "campo minado" como já dizia uma antiga canção. Beijos!

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos