segunda-feira, 22 de agosto de 2016

E esse silêncio...


Há dias que a beleza do pôr do sol
Perde para meus olhos o encanto
E nem mesmo o fascínio do arrebol
Tira do meu olhar um escuro manto...

Por que dos pássaros não ouço o canto?
Por que há nuvens escuras no meu céu?
E esse silêncio... um convite ao pranto
Sobre meu crepúsculo caiu denso véu...

Perdida estou nas praias de minha alma
Hoje a tarde se foi numa triste despedida
Com ela veio a noite me tirando a calma...

Olhos fixos no chão não vejo os astros
Pela ausência de sua luz, lua querida
Fico às cegas e tateando, ando de rastros.

Nádia Santos
22/08/16

3 comentários:

  1. Nádia..... Nádia... que que é isso????
    Que poema deslumbrante é esse????
    Que rimas maravilhosas, que imagens linguísticas luxuriosas...
    Meu Deus Nádia.... que tesão te ler!!!!
    Beijos e mais beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema! Lindo de se ler. Um pouco triste.

    Bjos

    http://deliriosamoresexo.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema triste à la Casemiro de Abreu.
    Um abração. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos