sexta-feira, 28 de março de 2014

Repentinamente, tu!


Estava assim distraída
Com meus pensamentos
Soltos, vagando alheios
Quando em meio a eles
Tu, meu amor, surgiste
Repentinamente!
Neste instante tudo mudou
A apatia se dizimou
E uma chama me tomou
Ardentemente!
A felicidade me abraçou tão
Envolvente e um bobo sorriso
Em meus lábios se instalou...
Deliciosamente!
Depressa do passado não
Lembrei e do amanhã esqueci...
O que importa é meu presente,
Onde tu estás, intenso e
Apaixonadamente!

- É tão gostoso pensar em ti...

Nádia Santos
27/03/14

quarta-feira, 26 de março de 2014

Minha oferta


Com o vento leve soprando macio
Nessas horas lentas de infinita paz
As árvores bailando em alegre cicio
Sinto um friozinho que agora faz

Aceite minhas mãos, é minha oferta
Trago-as carregadas de silêncio para ti
Conta teus pensamentos, estarei alerta
Fala ou cala, que importa, estarei aqui!

Como um rio, transborde caudaloso
E no silêncio permita que tua alma
Deixa rolar todo esse pranto fervoroso
Deixa ir o tormento, que virá a calma...

Teus prantos e tuas dores eu colherei
Assim, unidos nesse doce momento
E para o céu minhas mãos eu elevarei
E atirarei tudo, ao amigo vento!

Fala de amor... Fala com emoção...
Vem amor, vem que te darei conforto
Deixa loucamente gritar o teu coração
E deixa renascer esse (a)mar morto...


Nádia Santos

terça-feira, 25 de março de 2014

Embarquei nesse sonho




Sobre um céu azul,
Sem nuvens, entregue 
Aos meus devaneios
Seguindo, à deriva
Para qualquer lugar, 
Sempre com o olhar fixo
Na linda do horizonte.
Vou procurando um sentido
Para minha vida,
À procura de mim...
Quando vejo, de repente,
Vindo em minha direção
Outro barquinho,
Cor da paixão!
E vem certeiro,
Em minha direção...
Dentro dele, o amor, que
Estendeu-me a mão dizendo: 
Finalmente te encontrei!
Antes de ti, andava eu perdido...
Vem, que é todo teu
Esse meu coração!

- Embarquei nesse sonho...

Nádia Santos









sábado, 22 de março de 2014

Vento outonal


Sopra vento frio outonal
Sopra e trás à tarde
A brisa vespertina 
Pois nem mesmo tu
Tira do corpo meu
Esse calor que me agonia
Deliciosamente
Apenas por pensar
No corpo teu...
Cai folha e te arrasta
Pelo chão, sem direção...
Assim perdida fico eu
Quando não sinto
No meu corpo tua mão...

Nádia Santos
22/03/14

quinta-feira, 20 de março de 2014

Cativa de ti


Assim que não te vê o meu olhar
Padece meu corpo de saudade
Ficando inteiramente a desejar
Teu retorno com toda intensidade

Deixas todo meu corpo tão cativo
Centímetro por centímetro marcado
Repleto com teu carinho excessivo
E por intensos beijos apaixonados

Mas até que aconteça o teu retorno
Sofrerá coitadinho o transtorno
Causado pela dor da separação...

Mas voltará bem depressa a vibrar
Quando teu corpo meu corpo abraçar
E se juntarem o meu e o teu coração!

Nádia Santos



terça-feira, 18 de março de 2014

Soneto da confissão


Adoro-te muito. Encanta-me esse seu jeito
De menino alegre, divertido, imprevisível
Que existe por trás do homem encantador
Maduro, inteligente, decidido, sensível...

Amo-te também. Por esse sentimento
Sincero, envolvente, doce e profundo
Cuidando mimando e zelando por mim
Com todo o carinho desse mundo...

Quero-te demais. Fico louca de desejo
Quando tuas mãos passeiam no meu corpo
E minha boca encontra a tua num beijo...

Quero gritar ao mundo ardentemente
Que meu amor e meu querer é intenso
E que agora eu confesso, serenamente. 

Nádia Santos



quarta-feira, 12 de março de 2014

Não precisamos de noite


Não precisamos de noite
Para saciarmos nosso prazer
Quando de dia tu me chamas
Vou correndo te dá meu querer!
Bem depressa escondemos o sol
E imaginamos sobre nós a lua
Adornamos de estrela nosso céu
E unificamos nossa carne nua...
É todo teu o meu corpo...
É tão meu o lindo corpo teu
Mais nada no mundo existe
Somente a paixão que nos envolveu!
Com os corpos frenéticos e envoltos
Numa volúpia insana e ardente
Sem saber se é dia ou se é noite
Nos entregamos loucamente!

Nádia Santos
12/03/14

domingo, 9 de março de 2014

Vontade de ti


Estou tão carente
Dessa tua boca quente
Que deixa meu corpo em brasa
Que arrepia os meus pelos
Enquanto a vontade de ti
Loucamente me abraça.
-Volta logo...

Nádia Santos

Vontade de mim

Adoro saber de tua vontade
De tua urgência louca...
Me queira, meu deseje, 
Sinta essa saudade sem fim
Porque quando nos encontrarmos 
Saciarei tua vontade de mim!

Nádia Santos

sexta-feira, 7 de março de 2014

Uma homenagem a mim, mulher...

... que nessa caminhada já muito caí, chorei... mas me levantei e segui em frente. Aprendi a me valorizar, a me amar, a querer só o que me faz bem e feliz.  Abri minha mente sem ter medo de ousar, mudar e com isso viver novas emoções, aprender mais, abandonar velhos tabus e preconceitos e ser eu, fazendo o que quero e gosto, me entregando aos sentimentos, dando a cara a tapa, sendo transparente aconteça o que acontecer, sonhando sempre... sem desistir, sem desanimar porque de frágil não tenho nada. Quero viver a vida intensamente, loucamente (tenho um pé na loucura... e daí?), amando muito, namorando muito, beijando muito, sim, porque não sei viver mais ou menos, só sei mergulhar fundo, adoro correr riscos...  Se mais mil vezes tivesse que nascer, todas elas desejaria (e desejo) nascer Mulher. Adoro ser sensível, feminina, sensual, delicada, romântica mas sei ser ardente, felina, intensa para quem quero e no momento certo. Frágil? Até pareço mas sou forte, porque sou Mulher.
- A você Mulher que aqui passa, seja amiga, seguidora ou visitante sinta-se homenageada aqui também.
Um beijo e meu carinho, para vocês Mulheres maravilhosas e guerreiras. E para mim e para todas as mulheres, que somos flores que viemos perfumar esse mundo, deixo flores do campo... cada uma com seu formado, seu encanto, seu perfume, textura e cor e todas lindas.

COMO TODA MULHER...

Como toda mulher
Já sonhei com um amor
doce e puro cheirando
ao orvalho matinal,
sensível e cheio de encanto,
terno e angelical

Como toda mulher
Já sonhei com um príncipe
romântico e encantado
todo vestido de branco
que surgisse num dia ensolarado
para me levar montada
no seu belo cavalo branco

Mas como toda mulher, mudei!
Hoje desejo um amor ardente
com dois amantes cúmplices
e indecentes, vivendo
as loucuras e delícias
de uma paixão, intensamente!

E como mulher resolvida,
hoje desejo um homem
ousado, impulsivo, atrevido.
Que me envolva de um jeito
gostoso, que me satisfaça
completamente e me possua
de um jeito fogoso!

Nádia Santos

domingo, 2 de março de 2014

Meus contos


Por enquanto, postagem só no meu blog de contos - Meus contos - onde além dos contos também publicarei poesias e poemas mais ardentes com imagens mais sensuais e eróticas... quem gostar... passa lá! Bjus

Clique para visitar

Nádia Santos