terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O jardim dos amantes (Mini-conto)


Ela passeava pelo jardim pensativa... Seus pensamentos eram todos, exclusivamente dele... do seu amado. Parou em frente a uma roseira linda e segurou uma rosa, aspirou seu perfume, de olhos fechados, e suspirou profundamente. Ah quantas vontade vê-lo, de tocar seu rosto, de sentir  o calor de seu abraço, sentir o perfume que vinha de sua pele, ouvir seu coração batendo juntinho ao dela conversando apaixonados... Voltou a abrir os olhos e uma lágrima, de mansinho, correu pelo seu rosto morrendo nos seus lábios. Ela só queria ele, estar com ele, era tão pouco...
De repente uma borboleta, linda e colorida, pousa num dos galhos da roseira e fica ali, parecendo que olhava mesmo para ela... Tentou tocá-la mas ela voou e ficou dando volteios ao seu redor fazendo com que ela girasse e girasse fazendo-a sorrir, pois parecia que ela queria era isso, vê-la sorrindo, se divertindo. E pelo jardim começou a correr, sempre com a borboleta seguindo-a, mas de repente ela desapareceu e a jovem ficou angustiada, chamando-a. Quando ela ouviu uma voz que disse: "Ela não virá... ela veio apenas arrancar de você a tristeza que envolvia seu coração e avisar que o amor estava vindo... o seu amor. Estou aqui minha flor mais linda e não mais vou deixá-la chorar de saudade. Sou teu, todo teu... meu coração, meu corpo e minha alma. Vem... agora que nos encontramos, nada nem ninguém irá nos separar". Ela então correu para o abraço do seu amado  que a apertou em seus braços, acariciou seus cabelos, seu rosto, beijou seus olhos, seu nariz e finalmente suas bocas se uniram num beijo ardente e apaixonado. Ali, entre as flores, se amaram esquecidos do mundo e nem perceberam a borboleta junto com outras tantas, que volteavam pelo jardim...

Nádia Santos 

12 comentários:

  1. Nossa Nádia, viajei no teu conto e vivi todas as cenas com muita emoção na alma. Parabéns pelo lindo e emocionante conto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg Edith. É gostoso saber que consigo envolver quem ler, na história. Bjusss

      Excluir
  2. Que historia linda amiga Nádia,principalmente quando se refere em borboletas,parece que elas falam quando desejam transmitir algo maravilhoso que é a presença do amado.
    E assim ele chegou e elas,acabaram voejando,para quem sabe alegrarem mais um coração.
    bjs amiga.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho a borboleta o símbolo da renovação, da esperança e do amor. Bjus Carmem.

      Excluir
  3. Conto lindíssimo onde o amor é a alma mais bonita.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, borboletas, suspirar e sentir o amor, é a renovação da alma para amar num todo.
    AG

    ResponderExcluir
  5. Olá Nádia

    Que conto tão bonito... o Amor é o motor da vida! AMEI

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Queremos tanto... fazemos tão pouco...!
    um beijo, querida*

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos