segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A vontade que sinto...


A vontade que sinto de estar perto
Se faz tão  cruelmente torturante
Quando desejo tanto meu amor
Tua doce presença constante...

Desejando encontrar, tão inocente
Passeio meu olhar pelos cantos
Esperando os teus que os alimente
Mas só há o vazio e vem o pranto

E por instantes morre meu desejo
Que fica preso entre o sol e a lua
Que arde na pele quente e crua...

E  o que faço amor com esse beijo
E a chama que me toma quando nua
E com a insana vontade de ser tua!

Nádia Santos

8 comentários:

  1. Bom dia Nádia


    Poema lindo este, adorei...Tem um dia feliz.

    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Bom dia poetisa..
    vontade essa que não para de crescer em cada um de nós..
    quem de nós não ferve e não almeja um amor que nos faça bem.. de torturas de amor já chega né srs
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando estamos apaixonados é assim não é poeta.... bjus doces Samuel.

      Excluir
  3. Nádia. Muito belo essa vontade todos nós temos e não para de crescer parabéns amei ler.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  4. Soneto sensual e lindo. Parabéns amada.

    ResponderExcluir
  5. Lindo, sensual e com uma boa dose de romance.
    Adorooooo!!!

    bjokas =)

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos