sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O que está reservado para nós, um dia vem.



Tem algo mais lindo que amar? 

Tem sim!, amar e ser amado. Dizem os grandes pensadores e sábios que devemos amar sem esperar nada em troca. Amar pelo simples prazer de amar, de dar amor. Mas isso é para poucos, é para os indivíduos com certo grau de pureza de espírito, seres que vieram para esse planeta exatamente para nos ensinar isso. Porque na prática, o que a grande maioria quer é amar e ser amado, de preferência na mesma intensidade, do mesmo modo como se isto fosse possível. Ninguém ama ninguém da mesma maneira, cada um é cada um, com ideias diferentes, modos de vida diferentes, pensamentos diferentes, crenças diferentes, portanto isso é impossível. 

Até uma mãe não consegue amar seus filhos (que ela gerou dentro dela), da mesma maneira. Claro que uma mãe sábia procura não demonstrar isso, pois ama incondicionalmente cada um de seus filhos, mas no intimo sempre irá existir alguma diferença por mínima que seja. Não se diz que os filhos são como os dedos das mãos, todos diferentes, então! Existe a afinidade que pesa (assim eu penso). 

Além do amor, quando existe afinidade, o relacionamento flui naturalmente, mesmo quando há divergências, mesmo nas diferenças dois seres afins se entendem harmoniosamente. 
Quem quer igualdade de sentimento vai passar a vida toda sofrendo, e pior, se achando vítima, incompreendida, infeliz, fazendo outras pessoas infelizes. Deus na sua infinita sabedoria faz com que pessoas cruzem nossos caminhos, mas nem sempre são para ficar ou até que a morte os separe. Na nossa pequenês muitas vezes, não conseguimos ver os motivos, nem tão pouco sentir o que de bom e o aprendizado que aquela pessoa nos deixou com sua passagem pela nossa vida. O orgulho ferido não permite enxergar. O que vemos apenas, o que nos interessa é o amor que foi dado e que não foi correspondido. Quando se trata do amor entre homem e mulher ai tudo fica complicado.

Às vezes conhecemos alguém e pronto, já achamos que encontramos o amor de nossas vidas, nossa alma gêmea, nossa cara metade, aquela pessoa maravilhosa que Deus escolheu para nós e assim nos agarramos a ele(a), de maneira tal que não damos brecha para aquela pessoa falar, respirar, se expressar enfim, vamos sufocando-a com nosso “amor”. Mas a vida não perdoa. E de repente, aquela pessoa vai embora, se liberta daquela bolha sufocante que batizamos de “amor” e bate asas como uma linda borboleta que finalmente se libertou do casulo. E como ficamos? Arrasados e nos perguntando “por quê? Eu lhe dava tanto amor? Eu fazia tudo por ele(a) e para ele(a) e é assim que ele(a) me paga, com a ingratidão? 

Já vi tanta gente fazer assim, se sentir assim... E pior, se aquela pessoa encontra outra, aí sim o mundo desaba de vez. Pois não se aceita a escolha do outro e muito menos a opinião e o apoio de pessoas próximas à aquela pessoa. O resultado é: a revolta, o sofrimento, a dor, passando a se achar a mais incompreendida das criaturas. A frase: “sabedoria é aceitar o que não pode ser mudado”, com o passar dos anos, começou a ser compreendida por mim. Quando a vida nos separa de alguém que pensamos “amar”, temos que seguir em frente (mesmo que esteja doendo), pois lá na frente ao encontrar a pessoa certa (porque eu acredito que existe a pessoa certa, e se aquela se foi é porque não era a certa), ai sim vamos entender porque não ficamos com a outra. Com dor ou sem dor, diariamente a vida nos convida a vivê-la sem rancor, sem raiva, sem amargura no coração. Esses sentimento negativos são atraso de vida, quem os nutre vive infeliz e não consegue fazer ninguém feliz.

Acredito que, quem confia na bondade de um Deus justo (independente de religião), se acalma, aceita e espera Nele, pois o que está reservado para nós, ninguém tira e um dia vai chegar, pois sabemos que Deus trabalha da maneira Dele e não da nossa. 

O importante é nunca se arrepender de dar amor, pois ele retornará para nós em forma de mais amor, é só acreditar. Enquanto isso, vamos respeitando as escolhas dos outros, pois se nos deixaram existe algum motivo, um propósito. Poderia ser o contrário, poderia ser nós a deixar quem dizíamos amar. Ninguém é obrigado a ficar com o outro se não quiser.

E assim, a vida vai nos ensinando e nos propondo a mudança, a nos livrarmos de sentimentos pequenos que só atrasam nossa caminhada e nos ensinando que a paciência é uma virtude, que esperar exige sacrifício, mas que só assim poderemos usufruir deliciosamente da vitória e da recompensa, quando ela vier.

Nádia Santos
17/10/14


* O que me motivou a escrever este texto
foi algo que aconteceu com uma pessoa
próxima a mim. Expressei aqui apenas, 
o meu ponto de vista.

10 comentários:

  1. Amiga Nádia, nosso questionamento, nossas perguntas, nossas angústias têm respostas, as quais nem sempre detectamos, no livro da vida; no livro do destino. Como somos espíritos em evolução, viemos aqui para superar etapas, para dar amor, como tu dizes, entretanto, ainda estamos propensos a mais exigir que dar. Muitas vezes, ficamos com sensação de logro; parecendo-nos que nossas relações estão a nos sugar, seja no amor, no trabalho, na família, com os vizinhos. Isso ocorre porque o ego fala mais alto. Quando estivermos num plano mais elevado, iremos compartilhar, doar, nos entregar sem a espera da recompensa. então, automaticamente, o retorno virá, ainda que não seja na forma direta, mas, com certeza virá. O segredo é plantar, porque quem planta, colhe.
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza meu querido, concordo plenamente com tuas palavras. Bjus doces

      Excluir
  2. Nem sempre àquele que conhecemos pode ser o nosso grande amor,mas com certeza sempre haverá alguém que surgirá de repente e será um amor para toda a vida.
    bjs amiga Nádia e obrigada pela visita e palavras tão carinhosas.
    Um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Nádia
    Não tenho capacidade de resposta ao teu texto...Isto porque está bom demais. Desculpa por não dizer mais nada.

    Bom fim de semana, beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa de bobagem. Fico feliz que tenhas gostado. Bjinhos Cidália.

      Excluir
  4. Querida Nádia,
    Que texto delicioso de ser lido e entendido, parabéns ! Assim como as pessoas são diferentes, os amores também são. Todos tem essa capacidade, que é de amar, no entanto, expressar o amor puro, sem receber nada em troca, é uma tarefa difícil, que aos poucos podemos praticar, afim de vivermos num mundo de grande paz, amizade e respeito a toda diversidade.

    Um beijão,
    Dan
    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dan querido, antes de mais nada saiba que estou muito feliz com sua volta, sim, pq espero que tenhas voltado, nos deixou com saudade...
      O importante é amar e receber o amor, sem querer medi-lo, sem sufocar e deixar o outro ir se for da vontade dele(a). Grande beijo querido.

      Excluir
  5. A vida é assim mesmo, vivemos em busca daquilo que achamos ser o certo, mas certo pra quem?

    A maior dificuldade penso eu é aprendermos a amar sem egoísmo, mas como? Acredito que um dia vamos saber amar sem sufocar e sem nos deixar sufocar ...

    É fácil entender que cada um ama ao seu modo, e penso não se errado, porque amar nunca é errado, seja do jeito que for, apenas não podemos ser egoístas, mas infelizmente ainda somos ...

    Quanto ao amor aos filhos, tenho dois, um bem diferente do outro, meu amor por eles é na mesma intensidade, embora diferente porque são personalidades diversas, mas não muda a intensidade.

    Seu texto condiz com nossa realidade, ficou perfeito!

    Bjks
    My

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Minda, prazer em tê-la aqui, obg e volte sempre, adorei seu comentário. Bjusss

      Excluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos