sábado, 15 de fevereiro de 2014

Solitárias madrugadas

Nos caminhos que percorro
Nas madrugadas silenciosas
Solitárias, todos me levam a ti
E quando a lua ilumina toda noite
Veste-me também de desejo...
E enlouqueço, querendo te sentir
Fecho os olhos e com minhas mãos
Acaricio meu corpo... Sinto teu calor
E a vontade louca, que ele tem do teu...
Meu olhar se perde na escuridão
Vou aos poucos adormecendo
Rendida nos braços da solidão
No peito vou esse amor acalmando
E também no corpo essa doida paixão...

Nádia Santos
15/02/14



5 comentários:

  1. Oi Nádia!
    Tem vontades que só se matam quando se vai a fonte. Quando se tem por perto, quando se quer bem. Toca na alma e criam sinais no corpo. O corpo pede, fala.
    Beijos e bom final de semana!

    Estou migrando do PARA QUE FIQUEM para o meu novo canto, no qual junto com mais duas colaboradoras eu busco novas formas de pensamentar, refletir e expressar na escrita algumas das inquietações que vamos tendo ao longo dos dias. Quero te convidar a seguir o Blog, deixar o seu olhar sobre o tema que estamos tratando e somar. É sempre bom!
    Segue o link: www.todasasletrasporumtom.blogspot.com.br - TODAS AS LETRAS POR UM TOM
    Um abraço e bom final de semana!
    Jair Gabardo.

    ResponderExcluir
  2. Boa dia querida Nádia!

    Um belo poema, rendida nos braços da solidão, assim fico eu todas as noites!

    Que lindo amiga!!!

    Um abraço!

    Maria Machado

    ResponderExcluir
  3. Olá poetisa Nádia, e que tudo esteja bem!

    Saciar anseios da alma já não é tarefa fácil, por este motivo somente a presença física é capaz de saciar as ansiedades desejosas do corpo, e este será um capítulo deveras inesquecível poetisa!
    Agradeço por tua amizade e gentis visitas, e também por compartilhar teus belos sentimentos, e assim desejo que seja sempre tão intenso e deveras feliz o teu viver, um grande abraço e, até mais!

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, Nádia. Solidão, companheira que só faz mal.
    Bom seria que ela não existisse em nossas vidas, que não tivéssemos que provar do seu amargor tão infeliz e deprimente.
    Que o amor venha ao nosso encontro e desfaça essa triste cena.
    Beijos na alma e lindo início de semana, Nádia.

    OBS: Não sei o que ocorreu, mas você não está mais no meu face. Quis falar contigo esses dias e não consegui.

    ResponderExcluir
  5. Belo e sedutor poema de amor... Parabéns poetisa!

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos