sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Grito aflito


É na noite escura
Nas horas caladas
Que deixo cair o véu
Que cobre minha dor...
É na noite silenciosa
Que prostrada no chão
Choro desiludida
A crueza com que a vida
Destrói meus sonhos
E me põe em provação...
Coloca no meu caminho
Pessoas que só brincam 
Com meu coração...
À noite... sou o que sou...
Solto meu grito aflito
Tentando me libertar
Que vá essa tristeza
Para o infinito e que possa
Minha alma enfim chorar.

Nádia Santos
07/02/14


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos