segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Querer constante

Quando lindo o arrebol pincela
De vermelho o céu no entardecer
Forma-se no meu olhar uma tela
Com tua imagem a me enlouquecer!

Não vejo o sol lento adormecer
E assim não percebo a noite chegar
Provoca a tua imagem em meu ser
Louca vontade de ao teu lado estar

Mas tu estás de mim muito distante
Tenho desejo de te querer constante
Querendo sentir teu abraço, tuas mãos...

E quando a lua vem surgindo no céu
Deixo meu pensamento viajar ao léu
E que meu amor chegue ao teu coração

Nádia Santos
06/01/14

6 comentários:

  1. Bom dia querida Nádia!!!

    Muito belo poetar amiga, meio triste, querer constante algo e não tê-lo, isso é que me irrita na vida.
    Tenho saudade de montão do passado, lá eu era feliz.

    Um abraço querida!!!

    Maria Machado

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Poema lindo que refere a realidade de não termos tudo que desejamos, é assim consigo e com todos.
    Abraço
    ag

    ResponderExcluir
  3. Olá Nádia

    És fantástica, parabéns! Amei

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Olá NADIA,

    você se superando a cada novo versejar.

    E que seu desejo deste querer constante, seja mantido, afinal esta é a única forma de não morrermos.

    Concorda?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  5. Oi Nádia,
    O que lhe falta são pensamentos positivos, o negativismo nos leva a solidão.
    Você é linda, mulher...
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  6. Belo soneto, amiga Nádia!
    Um abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos