sábado, 31 de agosto de 2013

Gostoso pecar


Quando cedo despertei, tu já havias partido...
Mas deixastes em nossos lençóis impregnados
Teu cheiro de homem, teu perfume preferido...
E no meu corpo deixastes teus beijos tatuados

Ainda sinto, no meu corpo, o calor do teu olhar
Provocando-me calafrios, causando-me arrepios
Tão faminto, voluptuoso, envolvente, indecente
Minh'alma e corpo estremeceram em louco cio

Ah que delícia és tu meu amor, minha vida!
É tão gostoso contigo, deliciosamente, pecar!
É alucinante e intenso o teu jeito de me amar...

Deixa-me, esperando, com minha breve saudade
Que me consome, lentamente, em horas sem fim
Porque somente à noite, tu retornarás para mim!

Nádia Santos
28/06/12

(reedição)

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Serenidade

Sedenta, eu confesso, já não vivo
Por teus beijos, por teus abraços
Mas gosto deles bem abrasivos
Onde abandono todo meu cansaço

Sinto apenas uma gostosa saudade
Enquanto lentamente passa o dia
Pois à noite finda minha ansiedade
Quando tu chegas... tudo é alegria!

Em teus braços fortes sou envolvida
E entrego-me repleta de felicidade
Pois agora sentindo-me protegida
É onde encontro paz e serenidade

Nossos momentos doces e serenos
De carinhos e ternos beijos contidos
Passam a instantes ardentes e plenos
Quando nos doamos ensandecidos 

Nádia Santos
Recife - PE
29/08/13

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Recordações

Essa noite mergulhei
em profundas lembranças de
momentos...
Lindos, ardorosos e intensos
de noites de entrega de louco
sentimentos!

Essa noite recordei de mãos
ansiosas, carinhosas, quentes
e ardentes...
Que provocavam loucuras,
delírios, fantasias e anseios
frementes!

Essa noite vi diante dos meus
olhos desejosos corpos 
suados...
Que pela paixão desvairada
tornaram-se únicos e ainda mais
apaixonados!

Essa noite mergulhei sem pensar
na fantasia, na volúpia, na luxúria, 
na paixão...
E enfim adormeci toda coberta
de desejo...com tão intensa
recordação!

Nádia Santos
11/08/13






terça-feira, 27 de agosto de 2013

Ilha de desejos

Vem, à noite te espero
Para mergulhar nas águas
Quentes do teu oceano,
E toda me entregar, enquanto
Loucamente, digo o quanto te amo!
Serei tua sereia a seduzir-te,
Enlouquecer-te e arrastar-te,
Para minha ilha de desejos!
Onde além do marulhar 
Das ondas da nossa paixão, 
Só serão ouvidos 
O som ensandecido
Do meu e do teu coração
E o som do nosso sangue fazendo
Borbulhas de excitação em nossas veias.
E assim, totalmente perdidos,
Tu e eu, no nosso (a)mar,
Corpos ardentes, unidos
Ficaremos até o desejo extravasar!

Nádia Santos
27/08/13

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Veste-me com teu amor

Veste-me com teu amor
Suave, sincero e quente
Que faz-me sentir 
Amada e amante ardente!
Veste-me com tuas mãos
Amorosas... fogosas... 
Repletas de desejo!
Veste-me com teu amor
Ele é como um vestido...
Leve e esvoaçante!
Veste-me o corpo
Com teus carinhos...
Com teus beijos...
Com teus desejos!
Veste-me, depois do amor,
Com teu olhar de paixão
Mas tranqüilo, que me diz: 
Estarei sempre aqui...
Sinta minha proteção!

Nádia Santos
25/08/13

domingo, 25 de agosto de 2013

Mãos...


Mãos...
São apenas duas,
Que se transformam
Em mil na escuridão.
Ardorosas e maliciosas
Envolvem e aquecem
Tão voluptuosas causam tesão...
Silenciosamente vão
Apertando, arrepiando...
Enlouquecendo, excitando...
Fazem-me cativa,
Quando com carinho
Entrelaçam-se às minhas!
Mãos... adoro às tuas...
Quando antes do amor,
Elas conversam com ardor
Com minha pele nua!

Nádia Santos
25/08/13



O amor me visitou

Chovia insistente, chovia forte
A noite só não parecia morta
Pelo barulho intenso nos telhados
E pelo vento que sacudia a porta

De repente sacudiu-me outro vento
Sendo este cálido, caloroso, diferente
Balançou as cortinas de minh'alma
Envolvendo-me intenso e ardente

Instalou-se, assim, uma doce ventura
Senti fugir de mim toda a amargura
E uma alegria indefinível me abraçou

Esse vento fez arder meu coração
E acendeu a fogueira da paixão...
É... acho que o amor me visitou...
Nádia Santos
18/08/13



sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Volúpia

Essa noite não fui a tua procura...
Quis deixar-te saudoso,
Desejoso de mim... tua cura!
Quis que sentisse minha falta...
Falta do meu corpo quente
Que te deixa alucinado, ardente!
Mas o feitiço virou...
Fui eu que fiquei demente, carente
Sentindo minha pele
Arder em chamas, desejando
Doidamente, está na tua cama.
E assim, insone, vi a aurora chegar...
Sozinha, voluptuosa por te amar
Desejando com ardor
Sentir teu corpo ardente,
Tua paixão e teu amor...
 
Nádia Santos
21/08/13


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Ele...

Teu corpo é minha loucura
Que anseio a todo momento...
É meu mundo de volúpia
É meu (a)mar imenso
Onde mergulho e me banho
Nas suas águas agitadas 
Onde sem receio, afogo-me 
Entre beijos e carícias...
Onde deixo meu corpo flutuar 
Livre, na correnteza de desejos,
Levada para o teu (a)mar!

Nádia Santos
21/08/13

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Refém da noite

Depois de beijar a lua
O sol tranqüilo descansa.
E ela, a lua, esplendorosa
Enfeita a noite e encanta!
Sou refém da noite...
Nela me perco e esqueço
Das verdades e mergulho
Nas vontades que gritam
Dentro do meu ser.
Tiro os pés do chão,
E entrego-me plena à escuridão!
É à noite que minha alma nua
Liberta-se e juntas bebemos
Do silêncio embriagador
E viajamos nas fantasias
Mais ardentes, ambas,
Loucas e felizes,
Desejando o amor.

Nádia Santos
17/08/13

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Nossa noite


NOSSA NOITE
Por: Nádia Santos

Lembro de cada gesto, de cada carícia,
De cada beijo ardente, daquela noite,
Minha e tua. Quando nos amamos com a
Benção da querida lua...
De nossos braços em abraços apertados,
Do teu olhar no meu olhar,
Dos nossos corpos entrelaçados,
Como a dizer ao tempo para ter paciência,
Pois meu corpo e o teu dançavam,
Embalados, uma dança frenética,
Repleta de ardência...
Entregues à loucura de nossas bocas,
À ansiedade de nossas mãos,
Desbravando caminhos e segredos
Com tanta paixão... Que tu me deste
E eu, ainda mais ardente, te dei...
Impossível esquecer o momento,
Em que saciado, pousaste tua cabeça
Nos meus seios e fosse meu menino,
Que de tanta felicidade adormecesse... tão meu!
Saudade? Sim, eu sinto... Mas ela é doce!
Assim como foram doces e intensos
Os momentos, que juntos vivemos.

* Esse poema que escrevi foi inspirado no
poema do Amigo Carlos Soares (o Carrlos 

Menino Beija-flor). Vez em quando faço 
isso pois os poemas do Poeta são lindo e 
intenso, do jeitinho que eu gosto. Carlos já 
viu e já aprovou e agora compartilho com 
vocês, espero que gostem.

AQUELA NOITE
Por: Carlos Menino-Beija-flor
Como esquecer aquela noite
Quando você foi tão minha e eu tão seu?
Como esquecer o amor que aconteceu
entre aquelas paredes
naquela noite tão minha e tão sua?
Como posso esquecer a minha sede
vendo você nua?
Impossível não recordar nosso abraço
quadris mexendo no mesmo compasso
esnobando o tempo lá fora,
pois, para quem ama só interessa o agora.
Como esquecer nossas bocas loucas?
Misturadas no chão nossas roupas como você e eu.
Como esquecer o carinho que você me deu?
E depois do amor, como um garotinho
adormeci no peito seu.
Como esquecer aquela noite?
Ah... o que é a saudade?
Quando há felicidade,
a saudade não é maldade...
é um doce açoite.












A chuva e o vento

Está frio lá fora e eu,
Aqui com meus desejos,
Minhas vontades,
Minhas loucuras...
Lá fora está a chuva,
Caindo constante...
Em meio ao vento frio,
Que sopra a todo instante.
Juntos, cantam uma canção,
Misteriosa, que extasia.
E assim, mesmo nesses dias,
A chuva e o vento  cantam
Uma linda melodia...
Enquanto aqui dentro,
A minha alma e meu coração,
Estão felizes e cheios de emoção
Por estar em tua companhia.

-Hoje chove bastante,
mas no meu coração
faz sol...
Nádia Santos
18/08/13


domingo, 18 de agosto de 2013

Ardentemente

Toca-me...
Que conto no teu ouvido
Tudo que me arrepia a pele
Tudo que me tira os sentidos...

Toca-me...
Que sussurro com emoção
Que é esse teu louco olhar
Que me faz perder a razão...

Toca-me...
Que sentimentos ensandecidos
Despertarão! Vem que te quero
Ardentemente enlouquecido!

Toca-me
O ventre que  vou ao delírio
Passeia no meu jardim proibido
Terminando esse doce martírio!

Nádia Santos
17/08/13


sábado, 17 de agosto de 2013

Quero teu colo

Quero, num querer profundo
Estar no lugar melhor desse mundo...
Nele acomodar-me, aninhar-me,
Enterrar-me! Quero sentir
Aconchego, chamego, desejo...
Quero sentir ardor, calor, amor...
Quero sentir-me protegida, envolvida
Querida... Quero sentir-me criança,
Relembrar infância, sentir confiança!
Quero, enfim, acomodada... bem sentada
Meus braços no teu pescoço envolver
Sentindo-me tua amante, tua amada
Dar-te todo o meu ardente querer
Pois teu colo macio é onde quero me perder.

Nádia Santos
16/08/13

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Esse olhar...

Assim, com esse olhar
Que sorrindo 
Parece me desnudar,
Faz-me estremecer,
Arrepiar, enlouquecer!
Assim, com esse olhar
Tão ardente,
Fica meu corpo a queimar,
Delirar, inflamar...
De tanta paixão,
Loucura, excitação!
Assim, com esse olhar
Repleto de vontades,
Gritando desejos,
Derramando verdades,
Anseio teus beijos,
Exponho de ti,
Minha necessidade...
Ah! Esses olhos falando
Silenciosamente,
Às vezes inocentes,
Mas sempre ardentes, 
Gulosos e indecentes.
Quando fitam o meu olhar,
Tira-me a paz, o sossego
E é um convite, insistente,
Para o teu corpo amar.

Nádia Santos
15/08/13





quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Incontrolável desejo

Um incontrolável e súbito desejo...
Minha boca quer a tua boca!
Quer sentir o teu gosto...
Que desperta fantasias loucas.
Meus seios, quentes, também
Desejam teus lábios ardentes
E mais ainda as tuas mãos,
Que no silêncio falam eloquentes.
Sim! Tuas mãos falam
E o meu corpo entende...
Aceitando e atendendo
Todas tuas carícias... 
Suaves, ternas ou fortes,
Repletas de malícia!
Ah! Esse desejo do meu corpo,
Tão sedento, tão intenso,
Tão urgente, tão fogoso
Louco para sentir o teu corpo
Sobre o meu... perdido...
Excitado... desejoso...

Nádia Santos
13/08/13

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Completa-me...

É a noite, quando posso caminhar
Livremente no meu mundo interior,
Passeando feliz e sedutora
Pelas praias desertas de minha alma,
Nua das vestes, dos pudores repressores, 
Dos tabus que oprime, que vagueio
Em busca de ti meu amor!
E como um rio, revolto, a espera
Do teu (a)mar tempestuoso
Deito-me na areia...
A lua sorri para mim e ilumina-me
Com seus raios de luz dourados e
Nesse momento sou toda desejos...
Fecho os olhos e espero que chegues,
Que mergulhes dentro de mim,
Inundando-me... E assim, 
Tua alma completará a minha,
Teu corpo se encaixará no meu
E meu ser e o teu serão um!
E nada mais existirá... apenas nós dois,
Em instantes que se farão eternos.

Nádia Santos
13/08/13

* * * * * * *

*A frase: "praias desertas de minha alma",
que achei linda e me inspirou , peguei emprestada 
com uma pessoa muito querida, Vilmar Mello, 
com sua autorização.





segunda-feira, 12 de agosto de 2013

No teu ouvido


Queria que as águas
Deste meu rio 
Caudaloso, corressem
Ardentes e voluptuosas
Para o teu profundo 
E misterioso (a)mar... 
E depois de ardentemente 
Misturados, o doce mel 
Do meu corpo, com o sal 
Que é vida do teu, saciada
E intensamente amada por ti,
Diria, bem baixinho 
No teu ouvido, que te amo...

Nádia Santos
12/08/13

domingo, 11 de agosto de 2013

Se não podes...

Se não podes ocupar
Esse espaço imenso
Que tenho aqui escondido
Nos labirintos do meu ser,
Então fica longe e deixa
Que eu preencha esse vazio
De mim mesma, com fantasias...
Enquanto fico em busca
Dos meus tantos eus...
Que não me dê falsas esperanças
Se não podes ser minha luz;
Que não me dê a impressão
De felicidade duradoura se não podes 
Alimentar meus momentos;
Que não preencha meus ouvidos
Com falsas promessas e sentimentos vãos;
E se não podes alimentar as chamas 
Que queimam minhas entranhas, 
Que deixam meu corpo ardendo em desejos,
Querendo outro corpo para acalmá-lo...
Então deixa, que satisfaço minhas loucuras!
Se não podes oferecer-me algo melhor
Que a solidão que agora vivo...
Continua perdido por ai...
Que não encontre meu caminho,
Que fiques onde estiver...
E nos deixe sozinhas...
Eu, com minha solidão e sossegado,
Meu apaixonado coração.

Nádia Santos
11/08/13

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Como são belas as rosas

Ah como são belas as rosas!
Tão delicadas, sedutoras,
e fascinantes...
Enche os olhos de encanto
Deixando tudo mais lindo,
deslumbrante!

As vermelhas são as desejadas
e por todas as mulheres
a preferida...
 Que ao recebê-las ficam todas
suspirando achando que são
queridas!

Ah rosa! Rainha das flores
queria roubar de ti o perfume
embriagador!
Rosa, rosa... queria roubar de ti
tua magia, para conquistar
aquele amor...
Nádia Santos
09/08/13

Sonhando nas nuvens


É numa nuvem maravilhosa
que gosto de sonhar os meus
sonhos de amor...
Peço para ela flutuar bem alto
e que me leve devagarinho seja
 pra onde for!

Que ela siga despreocupada para
 que eu viva minhas fantasias
intensamente...
Esses meus sonhos de amor
que são todos fantasias sonhadas
delirantemente!

Mas essa alegria acaba de repente,
a nuvem se desfaz e vai embora
minha felicidade...
E eu volto a colocar os pés no chão
retorno para minha solidão, para
minha realidade!

Nádia Santos
09/08/13

Esse sorriso

Tudo me satisfaz por um instante
Toda desventura de que padeço
Tudo ganha um brilho fulgurante
Se vejo teu sorriso enlouqueço!

Tudo fica tão lindo por encanto
Fica repleto de ternura e magia
Sinto vontade de cantar belo canto
E brilham meus olhos de alegria

Teu sorriso causa transformação
Por ele bate forte meu coração
Repleto de ternura e saudade

Chamativo, lindo, radiante
Esse teu sorriso contagiante
Desperta intensa felicidade
 
Nádia Santos
09/08/13


quinta-feira, 8 de agosto de 2013

O que fazer?

O que fazer, quando o nosso coração
É por alguém cruelmente machucado
Ficando num sofrer, numa consumição
Perdido, entristecido, desorientado?

O que fazer, quando o nosso coração
Por causa de alguém vil, mesquinho
Rouba nossa paz e nos deixa na aflição
Deixando-o sentir-se tão pequenininho?

O que fazer, quando o nosso coração
Dedica a alguém sentimentos nobres
Carregados de carinho, amor, afeição
E só recebe o desdém, se descobre?

Descobrir ser uma banal aventura
Um brinquedo, uma simples diversão
É algo que causa imensa desventura
E uma tristeza indefinível ao coração.

Mas este coração aparentemente
Frágil, sensível e muito delicado
Continuará a esperar ardentemente
Um coração sincero e apaixonado
 * * * * *

- O que mais existe nesse mundo
são pessoas que brincam com os
sentimentos alheios.

Nádia Santos
08-08-13

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Repentino desejo

Na noite alta
E silente, deixo ir
Como uma prece ou
Uma melodia querida
Essa paixão,
Esse fogo,
Esse desejo!
Que ele siga
Madrugada a fora
Rompendo barreiras
Até chegar a aurora
Carinhosamente,
Ardentemente,
Loucamente...
Chegando assim,
De repente
Inexplicavelmente...
Aos ouvidos... de quem?

Nádia santos
07/08/13

Sozinha... com meus sonhos

Olho meu quarto...
Pequeno, meu espaço
Abarrotado de sonhos
Borbulhando, saltitando
Loucos para voar...
Aqui eu os deixo brincar
Aqui eu os deixo pensar
Que um dia serão realidade...
Enquanto os alimentos,
Não deixo que percebam
Que estou cansada, desiludida
Com a esperança
Acabrunhada,  abatida...
Enquanto meus sonhos brincam,
Diante dos meus olhos
Sinto uma solidão...
Sinto uma dor doída...
Sinto um abismo sem fim
Dentro de mim...
Sinto falta do amor...O amor...
Por que ele não está aqui?

Nádia Santos
07/08/13

Sonho impossível


Amanheceu...
O sol sorri, parece se divertir
Conversando com o vento
Enquanto pássaros
(ah como queria voar!)
Voam felizes no céu...
Todos indiferentes
Aos meus sonhos que morreram
Aos meus sonhos que brotam
Aqui, dentro de mim...
Todos indiferentes
Às minhas lágrimas
Que insistem em cair
Dos meus olhos  fixos no vazio...
Sempre a sonhar e a desejar
O impossível,  alimentando ilusões...
Como voar e ir morar na lua...

Nádia Santos
07/08/13

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Céu cinzento

Hoje chovia e não vi o pôr-do-sol
Ficando, assim, todo cinzento o céu
Nem houve o espetáculo do arrebol
Tudo estava coberto por escuro véu

Os pássaros não fizeram revoada
Ficaram recolhidos nos seus ninhos
A tarde ficou silente, fria e gelada
E encharcados estavam os caminhos

Sinto um cheiro de terra molhada
A natureza foi, enfim, toda regada
Aguardando o sol para nos encantar

Mas dentro de mim chove mansinho
Deixando meu coração apertadinho
Carente e com vontade... de chorar!

Nádia Santos
06/08/13

Entregar-me perdidamente

É na noite escura que desejo
Sentir-te meu e ardentemente
Sorver um a um os teus beijos
E entregar-me perdidamente

Ouvir-te dizer carinhosamente
Que sou tua mulher, tua amada
Enquanto ama-me loucamente
Sentes minh’alma apaixonada

Verás brilho no meu olhar a sorrir
Tão intensamente e somente por ti
Reflexo da lua olhando-nos lá fora...

Desejando está feliz ao lado teu
Aquecida no teu corpo, amor meu
Perdidos na paixão que nos devora

Nádia Santos

06/08/13

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Meu mundo

Parece quase sempre que
Quando olho uma estrada
Vejo uma luz, lá longe
Que em códigos, chama-se...
Parece quase sempre que,
Quando olho para o mar
Vejo uma embarcação
Convidando-me a viajar...
Para levar-me para distante
Lá, para um mundo
Onde fantasias e quimeras
São possíveis realizar.
Oh Deus! Porque não criaste
Um planeta... Um mundo
Onde habitasse os apaixonados,
Os românticos e os ...poetas!
É nesse mundo que queria estar...
É nesse mundo que minha alma
Loucamente quer morar...
Deve ser desse mundo que ouço
O som do vento a chamar-me...
Deve ser desse mundo que ouço
O som do mar a convidar-me...
Deve ser nesse mundo que a lua
Diz que está a minha espera...
E deve ser nesse mundo
Que talvez, eu encontre
O meu verdadeiro amor...

Nádia Santos
05/08/13


Tudo não passou de sonho

Hei de lembrar-me ti naquelas
Manhãs linda e ensolaradas
Que sonhava com tua presença
Cheia de vida e iluminada...

Hei de lembrar-me ti naqueles
Crepúsculos deslumbrantes
Quando sonhava com nós juntos
Com os corações palpitantes...

Hei de intensamente de ti lembrar
Quando a lua eu for contemplar
Imaginando-te ao meu lado risonho

Mas hei de lembrar que de repente
Partiste, sem chegar, e tristemente
Vi que tudo não passou de sonho.


Nádia Santos
05/08/13

domingo, 4 de agosto de 2013

Você!

Eu estava assim...
Sozinha, perdida
Vagando no nada
Quando de repente... Você,
Surgiu no meu pensamento!
Meu corpo estremeceu
O vazio se preencheu
O coração se agitou
A pele arrepiou
E esqueci...
A tristeza de ontem
A angústia de hoje
E a ansiedade pelo amanhã!
Tudo isso porque Você
Faz-me lembrar
Que apesar de...
É tão bom amar!

Nádia Santos
04/08/13


sábado, 3 de agosto de 2013

O meu grito

Sim... Sou toda vontade...
Desejo, volúpia, paixão...
O corpo grita, querendo toque
Carinho, prazer, emoção!
A pele esquenta, arrepia...
Acelera loucamente o coração
Causando inquietação, agonia.
Quero acalmar esse corpo
Que delira, se agita
Louco por saciar vontades
E render-se à luxúria que grita.
Mas na ausência do teu corpo
Onde desejaria meu corpo calar
Sozinha, com minhas mãos, em silêncio
O meu grito, irei sufocar...

Nádia Santos

04/08/13

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Ah esse meu coração!

Ah meu amor, esse meu coração
E os meus lábios sonhadores
Vivem assim cheio de emoção
Querendo teus lábios sedutores

Fico sempre contigo a sonhar
Envolvida nos teus lençóis
Entregando-me ao teu amar
Nos teus braços, eu e tu, a sóis

Quero seduzir-te, minha paixão
Mas termino eu, enfim, seduzida
Apaixonado está o meu coração
Deixando-me totalmente rendida
Nádia Santos
02/08/13

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Quero-te para mim

És meu último pensamento ao adormecer...
És meu primeiro pensamento ao despertar
E assim, é mais colorido meu amanhecer
Por que tu és o sonho que quero realizar!

Tudo o que mais desejo é estar contigo
Querendo os teus olhos para iluminar-me,
Os teus sorrisos e teu colo meu abrigo
Precisando dos teus pés para guiar-me

As nossas almas cúmplices, semelhantes
Atraíram-se, tão apaixonadas e ardentes
E nossos caminhos e destinos se cruzaram
Tudo aconteceu, de forma linda e fremente

Sei que nascemos um para outro, é certo
Saber que existes, deixa feliz todo meu ser
Vamos viver juntos, sair desse deserto
Quero estar ao teu lado e sempre te ter!

Quero deitar, languidamente, ao teu lado
Ardentemente falar desse meu amor a ti
Que me completa e preenche o meu ser
Que só deseja essa doida paixão sentir...

Despertar amando-te mais e perdidamente
Perguntando-me como posso amar-te assim
És tudo que quero, intensa e loucamente
Quero-te no meu mundo, todinho pra mim.

Nádia Santos
01/08/13





Ah o amor...

Ah o amor... Que em mim borbulha
Que me atormenta e me esquenta
É também é minha doce cura.
Ah o amor... Ora em mim é um vento suave, 
Ora em mim é uma louca tempestade;
Ora me faz um lago pleno em suavidade,
Ora me faz um mar revolto, enfurecido!
Ah o amor... Que em noites quentes e de luar
Deixa meu corpo com desejo de amar
Totalmente abrasado, querendo beijar,
Joga-me no chão perdida
E ensandecida por essa paixão;
Ou chorando, apaixonada e enternecida
A saudade que maltrata e faz chorar
O meu pobre coração!
Ah o amor... Esse amor que sinto agora
Não importa se me faz chorar ou sorrir
O que quero é está pertinho de ti
E te dá esse sentimento que me devora.
Ah o amor... Faz-me louca, faz-me serena
Faz-me a mulher doce e a  amante ardente
Porém todas, querendo-te, loucamente!

Nádia Santos
01/08/2013


* * * * *

Hoje, pela manhã, quando fazia
minha caminhada até a academia,
precisei parar três vezes, abrir a bolsa,
pegar papel e caneta que sempre trago
comigo e assim em plena rua, parar para 
escrever versos, que vinham em minha
mente. Inspiração... não tem hora nem
lugar para chegar... Amooo isso!

Quero te esperar

Quero te esperar calmamente
Tendo a alma ciente, resignada
Contando estrelas serenamente
Apaixonada  e por te encantada

Quero te esperar toda contente
Com muitos beijos, muito carinho
Com um amor imenso e ardente
Para que jamais sinta-se sozinho

Quero te esperar junto com a lua
Vestida de desejo na pele nua
E de paixão para te enlouquecer

E quando chegares irás encontrar
Meu corpo lascivo querendo te dar
Esse amor que embriagará teu ser

Nádia Santos
01/08/13