domingo, 30 de junho de 2013

Temporal

Nas veredas que sempre sigo
E alegre minhas pernas caminha
Um temporal destruiu meu abrigo
Deixando-me triste e sozinha

Meu coração feliz mergulhado
Em amor, sonho e muito carinho
Vê as rosas no chão e atordoado
Machuca-se em meio os espinhos

E vejo os meus sonhos abortados
O amor repentinamente arrancado
Vivendo agora uma triste verdade...

O coração com a certeza se desespera
Pois a esperança que nutria a espera
Sucumbiu, e agora, é apenas saudade...

Nádia Santos
27/06/13





...


Pai, dá-me uma luz...
Estou sentindo-me perdida
Como um barco à deriva,
Tonto, com a violência das ondas.
Apavorado com a escuridão
Iluminada, apenas, por raios
Que cortam o céu,
Por assustadores trovões.
E por vultos sinistros
Que querem me tragar
Para as profundezas
Desse revolto mar...
Pai, dá-me uma luz...
Pois a minha, no momento,
É apenas um fraco lume...
Mostra-me o caminho... me conduz...
A um abrigo... um porto-seguro...
Onde eu possa minha nau atracar
E minha paz, novamente encontrar.
Queria continuar meu desabafo,
Mas nas meninas dos meus olhos,
Agora, cai fina chuva
E sinto-me impossibilitada
De continuar... com a vista turva....

De sua filha...
A procura de luz



sábado, 29 de junho de 2013

Lembranças de ti

Esta noite prendi a minha alma
Que louca pedia-me para dormir
As horas lentas tiravam-me a calma
E minha lembranças só levavam a ti

De olhos abertos, de olhos fechados
Tua imagem está sempre presente
Tão real, tão nítida, iluminada
Sorrindo e chamando-me insistente...

Mas meus braços não te alcançaram
Meu corpo não sentiu teu calor
Meus lábios sedentos não te beijaram
E foi banhada minha boca de amargor

Leva-me, depressa, para o teu mundo
Não fica, de mim, tão distante assim
Tira-me desse triste e imenso deserto
Que aos poucos toma conta de mim

Na solidão sonho com teu beijo
Meu corpo grita e chora por ti
Minh'alma  em prantos é toda desejo
Em devaneios querendo o teu senti...

Nádia Santos
24/06/13

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Leva-me ao paraíso

Não são roupas grosseiras
Nem algo frio e sem vida e calor
Que meus seios querem sentir...
Eles desejam teus lábios
Macios e quentes cheios de  ardor!
E querem tua boca, 
Que neles se encaixam
Repleta de calor.
Ansiosamente querem tuas mãos
Impetuosas, agitadas, ardentes
Que os acomodam com paixão
Naturalmente... intensamente...
Nua, banhada pelo desejo
Aperta teu peito contra meus seios...
Perde de vez o juízo!
Satisfaz meus loucos anseios
E marca-os com teus intensos beijos
Mas leva-me de vez ao paraíso...

Nádia Santos
28/06/13




quarta-feira, 26 de junho de 2013

Um mar no caminho

Amo contemplar o azul do mar
Misterioso, fascinante, encantador
Os olhos não se cansam de admirar
Ora sua mansidão, ora seu furor

Mas por que ele é tão imenso?
Porque separa os apaixonados?
E seus sentimentos intensos
Morrem em suas águas afogados...

Muitos amores ainda persistem
Porém tantos, tristes, desistem
Quando vêem o mar no caminho...

Ficando os amantes a lamentar
Cada qual em um lado do mar
Ambos infelizes, tristes e sozinhos.

Nádia Santos
21/06/13

terça-feira, 25 de junho de 2013

Devassidão

Nas madrugadas caladas e de calor
Minha mente desenha tua imagem
Que em instantes provoca-me um ardor
Convidando meu corpo à vadiagem...

E com minha pele despida das vestes
Dos pudores, dos tabus, da opressão
Fecho os olhos, o desejo me enlouquece
E imagino que cada toque é tua mão...

Sinto tua forte presença ao meu lado
Um arrepio invade-me e descontrolado
Deixa o corpo e a alma em excitação...

E vou vendo o céu e as estrelas tão perto
Por um momento não estou só no deserto
E com loucura entrego-me a devassidão.

Nádia Santos
20/06/13



Poeta vadio



Será sina do poeta
Apaixonar-se pelo impossível?
Perder-se na escuridão da noite
Sonhando de olhos abertos na busca vã
De quem o inspira, aspira, suspira...
Enquanto o corpo prostrado
Sob o frio dos lençóis queima,
Numa chama constante, excitante...
Em delírios, fantasias, quimeras loucas!
Enquanto a lua o contempla
Em sua agonia, como quem sorri
Cúmplice desse  sentimento conflitante...
E o vento, soprando mansinho,
Tremulando as "cortina da janela da alma",
Sussurra o nome que se quer esquecer,
Com receio de se perder...
Acendendo mais forte a chama do desejo
Fazendo o poeta enlouquecer...
Estremecer... querer... viver!
A madrugada passa e o poeta vadio, sozinho
Sente a luxúria que o abraça...
Vendo as horas indo, o consumindo
Com a alma e o corpo em louco cio.
E nessa batalha cruel
Não há vencido nem vencedor,
Apenas o poeta lutando
Para não deixar cair o véu da paixão,
Que o devora com ardor!

Nádia Santos
20/06/13



segunda-feira, 17 de junho de 2013

Ficarei uns dias fora do ar

O mundo virtual é repleto de atrativos, em todos os aspectos. Mas é um mundo ilusório também e as vezes nos empolgamos demais e... Bom, deixa pra lá. Sei que muitas vezes somos culpados sim, por alimentar sonhos, fantasias. Ninguém é culpado por nossas decepções, pois somos nós quem escolhemos nossos caminhos portanto, devemos arcar com as consequências de nossas escolhas e atitudes. Estou no momento sentindo necessidade de ausentar-me desse mundo por uns dias. Se vou sentir saudade? É claro que vou. Se vai ser difícil ficar longe de vocês, dos meus blogs? É lógico que sim, mas é preciso. Logo estarei de volta. Vou aproveitar para ler e escrever, muito. Bjus


**************************************************

Escolhi ser feliz!                                                         

Há muito já percebi que não devo esperar a felicidade em grandes acontecimentos, na realização de grandes sonhos ou pior, em príncipes encantados (que não existem, nós é que inventamos, pois são pessoas como nós, cheias de fraquezas e defeitos). Enquanto isso ficam nossos olhos encobertos para a simplicidade das coisas, das pequenas surpresas diárias e pessoas especiais que nos cercam e vão embora sem prestarmos atenção nelas... Simplesmente por estar esperando grandes fatos e pessoas incríveis... bobagem! E assim vamos deixando de viver pequenas alegrias, sem valorizarmos pessoas que talvez, fizessem grande diferença em nossas vidas.

A felicidade, tenho aprendido, é um estado de alma. Se nos permitirmos observarmos ao nosso redor, se permitirmos que nossa alma sinta, encontraremos prazer em pequenas coisas e veremos qualidades nas pessoas queridas...Acredito que felicidade é sinônimo de simplicidade e um pouco de ousadia (ou talvez muita). É preciso nos permitir senti-la e não procurá-la, pois assim, corremos o risco de está passando nesta vida, sem jamais encontrá-la...

Escolhi ser feliz... eu mereço!

Nádia Santos
17/06/13

Sonhos naufragados

Tem sido agora o quarto meu
Um triste cais abandonado
Envolto em brumas, num breu
Repletos de sonhos naufragados

Aonde meu corpo cansado deita
Procurando, ansiosa, o calor
Mas só sente um vazio no peito
Que causa na alma um pavor

Uma lembrança entristece-me
A saudade enlouquece-me
Sou tomada de inquietação...

Queria agora tanto minha cura
Mas é ela o motivo da amargura
Que de súbito inundou o coração

Nádia santos
16/06/13


*Desculpem-me a fase
mas ando um pouco triste.

domingo, 16 de junho de 2013

No meu mundo é inverno

No meu doce mundo
De nuvens cor-de-rosa
De primaveras floridas
De tardes deliciosas
De pássaros em revoadas
Não mais sorri as margaridas...



Dos crepúsculos cor de púrpura
De lindos sois languescentes
De lindas noites enluaradas
Com milhares de estrelas fulgentes
Está na escuridão mergulhada
Com paisagens deprimentes...

Amanhece triste, sem luz
E sem alegria minhas auroras
As árvores estão desfolhadas
Os pássaros foram embora
São invernos dias e madrugadas
E a lentidão comanda as horas

Cai trovões de sonhos mortos
Relâmpagos de decepção
Constante chuvisco de saudade
Terríveis tempestades de ilusões
E esse inverno é a realidade
Em que vive, agora, meu coração!

Nádia Santos
16/06/13 






Coração bobo

As vezes penso seriamente
Que o melhor é não se apaixonar
Pois fica o coração tristonho
Quando só deveria cantar

Em meio a tantas possibilidades
O coração encontra alguém
E como bobo se apaixona
E de presente recebe o desdém

É tão ruim quando a oferta
Do coração com portas abertas
Recebe um doloroso não...

Só resta seguir o caminho
Esperando receber o carinho
De um outro rejeitado coração.

Nádia Santos
16/06/13

Lá, no meu pensamento

Aonde sempre te encontrei
Fui ontem para te buscar
Lá, no meu pensamento
Tu não estavas a me esperar

Vaguei pela madrugada
Procurei também pela lua
Perdida fiquei entre bruma
E não vi a imagem tua

Levei chuva, senti frio
Passei por avenidas e ruas
Vi amantes se amando
E eu não podia ser tua

Cansada de te procurar
Onde sempre te encontrei
Lá, no meu pensamento
Eu perdida, apenas, chorei...

Nádia Santos
15/06/13
 * * * * * * * * * * *


Postei um novo conto
O AMOR E UMA CABANA
Blog Meus contos
Para ler, clique no nome do blog

sábado, 15 de junho de 2013

(A)mar tempestuoso

Meu corpo é um (a)mar tempestuoso
De tantos desejos ensandecidos
Querendo misturar-se ansioso
No teu louco (a)mar adormecido

E intensamente aquecer tuas águas
Na ardência de minha essência
Mergulhar no amor, não em mágoas
E satisfazer prazerosa tua apetência

Mergulha no meu (a)mar tempestuoso
Vem destemido, ardente e impetuoso
Que a ti me entregarei loucamente...

Estarei, assim, displicentemente nua
Para ser, enfim, indecentemente tua
Para afogar-te em meus beijos ardentes

Nádia santos
15/06/13



Preenche-me

(reedição)
Quando me olhas assim
Com esse olhar indecente
Tudo ao redor desaparece
Um desejo incontrolável
Me domina, me enlouquece!
Vem... não demora... 
Apaga essa chama que me devora
Sente o cheiro que meu corpo exala
Pela louca vontade de te ter...
Completa meu corpo 
Com uma parte do teu ser...
Preenche-me de ti!
Desvenda meus loucos segredos
Que estavam guardados esperando
Que calmamente e ardentemente
Fossem por ti revelados, para juntos
Cometermos com amor... por amor...
Os prazerosos pecados da carne...
Vem... Vamos deixar explodir a paixão
Prender o tempo nos nossos corpos,
Cometer loucuras...perder a razão...

Nádia Santos
09/02/13

* * * * * * * * * * * * *

Convido todos a lerem
meu último conto, que é uma
linda história de amor:
RENASCENDO PARA O AMOR
Blog Meus contos
Clique no título do blog para ler.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Correndo para o teu (a)mar

Como um rio, cheio de vida, correndo para o mar
Quero misturar minha essência à tua...
Mas teu (a)mar, morto, não permite que em ti entre.
Mas insisto em penetrar nas tuas águas profundas, 
Turvas, confusas, repleta de tantos segredos,
Mistérios, medos, receios...
Procuro abrigo no teu corpo que se fecha...
Quero me aquecer na tua pele, que congela...
Quero ouvir de ti palavras doces de amor,
Mas elas travam, presas, na mudez de tua boca.
Em ti os sonhos não encontram guarida,
A esperança é quase morta.
No teu mundo, fechado, quero penetrar,
Plantar novos sonhos, reavivar a luz da esperança,
Mostrar um horizonte novo, que convida...
Mas neste teu (a)mar, o calor da paixão é proibido 
Não há beijos ardentes, nem abraços apaixonados,
Nem mesmo o amor... é permitido...
Nádia Santos
13/06/13

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Vestida de desejo (reedição)


É tão prazeroso me arrumar para te esperar...
Pois entre nós a simplicidade está sempre,
Sempre em primeiro lugar.
Antes de tudo preciso me despir de algumas
Coisas inúteis, que só fazem atrapalhar,
Por isso guardo em um baú, pequeno, que
Ocupa apenas um pequeno e discreto espaço,
Os falsos pudores, o preconceito, a vergonha,
A timidez, a passividade, os tabus que não
Nos levam a nada... a lugar nenhum...
Agora estou praticamente pronta para te esperar!
Não preciso de perfume, pois o aroma que exala
Minha pele é inebriante, sensual, excitante...
E é ele... esse cheiro que te deixa louco!
Finalmente me visto... do mais puro e louco desejo!
Visto-me de paixão, de luxuria, transformo-me
Na amante, na fêmea felina e ardente...
E vestida assim, luxuosamente vou ao teu encontro...
Tu desejoso, impetuoso vem até mim e toma para ti
O meu corpo quente e ansioso por teus beijo, 
Por tuas carícias, por tuas mãos
Que inquietas caminham sobre minha pele
E onde teus dedos, como a tocar uma sinfonia
Leva-me ao mais lindo dos paraísos
E de onde escuto a mais linda melodia.
Nua... vestida com meu amor, com minha paixão
Espero-te e entrego-te meu corpo,
Minha alma e meu coração...

Nádia Santos
01/03/13

Delírios noturnos

Que graça tem a noite
Sem a tua presença distante?
Até o tempo chora tua ausência
O céu fica sem estrelas,
A lua se esconde,
E as nuvens carregadas, 
Choram... como eu, a saudade de ti...
Trago-te em meus delírios difusos,
Nos meus pensamentos noturnos...
Esta noite não vieste
Alegrar minhas fantasias e
Minhas palavras ficaram presas...
Recolhi meus abraços ilusórios,
Represei meus beijos imaginários,
Minhas mãos ficaram dementes,
Meu desejo se afogou na ansiedade,
Meu sangue congelou nas veias...
Restou ao meu corpo mergulhar na cama fria
Agasalhada por minha solidão,
Abraçada por minha desilusão,
Esperando a chegada de um novo dia.
Nádia Santos
13/06/13

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Meu corpo falará

Quando estiver perdida em teus braços
Quero beber do silêncio de minha boca...
Quero entregar-te meus sentidos e meus ouvidos
Para ouvir os sussurros de tua boca, divina e louca!
Nada direi, apenas escutarei tudo que me dirás
Baixinho... quase inaudível, que importa!
Todos os sons que saírem dos lábios teus
Serão lindas declarações de amor. 
No silêncio entregarei meu sentir, 
Pois meu corpo falará por si...
Meu olhar falará de amor e verás nele desejo, 
Minhas mãos ficarão ardentes de paixão,
Minha pele se arrepiará a cada carícia tua,
Que exigirá ser vestida por tua pele nua,
Meus seios implorará o toque dos lábios teus,
E de minha boca, finalmente, ouvirás os sons
Dos gemidos, dos ais e palavras sem nexo,
Pois meu corpo ardentemente gritará
Pela junção dos nossos sexos.
Nádia Santos
12/06/13



terça-feira, 11 de junho de 2013

Teu corpo, meu livro

É a noite, quando mais forte o frio
Chega , se instalando de mansinho
Arrancando de minha pele arrepio
Quer meu corpo, aconchego e carinho

Sinto vontade de uma ardente leitura
Corro o olhar para o lado da cama
E logo encontro a minha doce cura
Que aplacará intensamente essa chama

Começo a desfolhar o livro avidamente
Meu livro preferido, sensual e indecente
Que em mim desperta ardorosa sensação

Passeio meu olhar por teu corpo quente
O meu livro, que devoro ardentemente
Repleto de versos que acendem à paixão!
Nádia Santos
26/03/13

Consumida

Chegaste assim de repente
Abrandando minha solidão
E eu deslumbrada, encantada,
Fui abrindo portas
Fui entregando tudo
Fui me aninhando
Nos braços da ilusão...
Quem é você?
Que não me deixa dormir
Que fica em pé no meu quarto
Sorrindo, tão lindo, para mim...
Quem é você?
Que é tão real em minha fantasia
Que surgiu do nada
Deixando minhas noites uma agonia,
Insones e mal dormidas...
Desejando te tocar e não posso
Fico assim... tão consumida...
Nádia Santos
11/06/13

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Basta dizer sim...

Minha alma é um universo
Que nem eu mesma conheço...
Como poderei então
Conhecer a tua?
Um universo profundo,
Enigmático e desconhecido...
Mas que aos pouco e timidamente,
Deixas transparecer...
Com teus olhares,
Com tuas atitudes,
Com uma simples palavra,
Ou uma frase que diz tudo...
Tua alma, eu sei
Jamais conhecerei plenamente,
Mas me esforçarei para entender
Se me permitires entrar, mansamente
No teu mundo, bem assim,
Com amor e pacientemente...
Basta apenas dizer... sim...
Nádia Santos
10/06/13

Por um segundo...

Se de repente
Durante a fuga que buscas
Na tua solidão
Uma brisa suave soprar
E te arrancar arrepios,
Não de medo, mas de prazer,
Fecha os olhos
E te entrega a essa magia...
Se este vento
Nas cortinas da janela 
De tua alma te acordar,
Mesmo que seja por um segundo
Que dura uma eternidade,
Não resista, se entrega!
Pois na verdade é tua alma
Gritando os anseios dela...
Ouvindo o chamado de minh'alma
Querendo te despertar,
Acender a chama no teu coração
Mas ao mesmo tempo
Trazer-te paz e emoção...
Nádia Santos
10/06/13



domingo, 9 de junho de 2013

Lentidão das horas

Sabes quanto tempo um segundo dura?
Dura uma eternidade, e também minha loucura!
A lentidão das horas é uma agonia...
A cada minuto penso tanto em ti!
Arrasta-se lentamente o dia
E o meu coração fica fora de si!
Quero teus carinhos nos meus cabelos,
Quero teus abraços apertados,
Quero tua boca para beijar e beijar...
Quero teu corpo para me aquecer,
Quero teu peito para deitar,
Quero tuas mãos para me enlouquecer,
Quero teu amor para me acalmar.
Vem!  Porque, só nos teus braços
Terminará minha aflição
Porque, só com teus abraços
Irá embora essa solidão!
Nádia Santos
03/06/13

Ondas de desejos

Navegando num vai e vem
Livre, solto e sem destino
Deseja meu corpo a alguém
Está preso, cometendo desatino!

Em delírios ardentes navegando
Em incontidos gemidos e ais
Corpos aflitos se devorando
Em ondas de desejos carnais

Sem desejar um porto seguro
E querendo outro corpo maduro
Para feliz e morrer afogada...

Neste (a)mar permanecer perdida
Morrendo nele para encontrar a vida
Renascendo plena e revigorada!

Nádia Santos
09/06/12



Vazio no peito

Sonho, doce sonho
Tão feliz te alimentei
No meu mundo risonho
Nos braços te acalentei

Era tão doce a fantasia
Mas não passou de ilusão
Causou-me somente agonia
Restando tanta decepção...

Com o sonho desfeito
O sentimento arranhado
Ficou um vazio no peito
Tudo enfim foi mudado

Nádia Santos
09/04/13


sábado, 8 de junho de 2013

Minha ilusão

Hoje acordei estranha e sentindo
O sabor dos beijos que não dei
Mas que deixaram saudade
Em minha sedenta boca.
Fechei os olhos e nos vi abraçados
Bem juntos. Cenas que só eu vejo
Existentes apenas no meu mundo.
Sentindo o corpo com frio
Pela falta dos abraços que não senti
De mãos macias, desenvoltas
Em meu corpo, de momento que não vivi...
Sentindo falta de uma presença tão ausente
Causando-me essa solidão persistente...
Minha pele desejando vestir-se de outra
Como um agasalho a cobrir minha nudez
Que ansiava ser vista por um alguém...
Hoje acordei sentindo falta...
Do que desejo e nunca vou ter
Sentindo falta dessa minha ilusão...
Que é simplesmente...você!

Nádia Santos
08/06/13

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Ficaste na minha pele

Passaste em minha vida
Alternando dias de primavera
Alegres e exalando suaves perfumes;
E como dias de verão, ardente
Deixando meu corpo voluptuoso
E nele despertasse desejos indecentes.
Mas um dia, uma tempestade de verão
Passou, intensa e quando tudo se acalmou
Tu havia ido com ela deixando 
Uma saudade imensa...
Agora fico a relembrar, ternamente
Os doces e intensos momento
Que vivemos e mesmo que quisesse
Esquecer de ti eu não consigo
Pois ficaste em minha pele
Como um perfume suave
Que lembram os dias 
Que estive contigo...

Nádia Santos
07/06/13




Inquietude que me devora

Nas noites quentes em que a lua
Brilha nas silentes madrugadas
Banho inteiramente minha pele nua
De essências excitantes e perfumadas

Meus olhos refletem a luz do coração
Do amor que inunda-me intensamente
Adorno meu corpo de toda sedução
Vestindo-me com desejos ardentes

Meu corpo é volúpia, luz e aroma
Na inquietude que o devora e inflama
Da vontade da doação que louca irradia

De ter a pele por fortes mãos afagada
De ter a boca loucamente beijada...
Mas deito com a solidão que me agonia!

Nádia Santos
07/06/13


* * * * * *

Aguardo vocês para lerem
no meu blog de contos, minha
mais nova história de amor.
Clique no título para ler.
ESPERANDO O AMOR



quinta-feira, 6 de junho de 2013

Ela apenas chorou

Ela estava absolvida em suas dúvidas,
Em suas incertezas e desilusões,
Que nem percebeu a senhora felicidade...
Que estava vestida de simplicidade
E envolta numa tênue luz.
Em sua aflição, seus olhos ficavam
Encobertos por um véu de ilusão
E pelo pranto eminente...
Assim, a senhora felicidade
Que tudo fez para ser notada, partiu!
Olhando o vazio de sua janela,
Passou por ela o vento, e sussurrou:
"De tanto querer o que não podes ter,
A felicidade te cercou 
E tu, nada viu, nem sentiu..."
Olhando o pôr-do-sol, 
Ela apenas chorou...
Porque, novamente, se iludiu...

Nádia Santos
06/06/13

Sonho

Foi um sonho lindo de se ter.
Sei que  não te interessas,
Que não mexe com teu ser
Mas isso é na realidade...
No meu sonho amava-me
Com intensidade.
Tomava-me em teus braços
Invadia-me com volúpia,
Qual o mar quando lambe a areia;
Inundava-me como  as águas
De um rio, em dias de cheia!
No meu sonho, todo meu sentimento
Todo meu desejo... eram teus
E tu os bebia e recebia
Perdido nos braços meus...

Nádia Santos
06/06/13

Meme - vamos nos divertir e relaxar

Olá pessoal, hoje vamos relaxar um pouco brincando. Por indicação do querido amigo Sotnas Odlabu do SOTBLOG-PRETENSO VERSOS DE UM PRETENSO POETA ( http://blogdosotnas.blogspot.com.br/ ), estou participando e respondendo a um Meme. Achei divertido e vou responder a todos os tópicos com toda sinceridade e se escrever alguma bobagem... faz parte da brincadeira, mas ao mesmo tempo vocês saberão um pouquinho mais de mim. Espero que gostem. 
Sotnas querido, muito obrigada pela indicação, eu adorei participar, um carinhoso beijo para ti.

Vamos então ao que interessa.

I- Sete coisas que gostaria de realizar antes de morrer
.Ver o Brasil sem políticos ambiciosos, egoístas e inescrupulosos
.Ver o governo brasileiro investindo seriamente na educação
.Conhecer Portugal (sonho desde minha adolescência)
.Conhecer a Itália
.Conhecer a Amazônia e o sul do Brasil
.Publicar meu livro de poesias
.Apaixonar-me perdidamente e ser correspondida (eu mereço)

II- Sete coisas que mais falo
.Quem vivi de passado é museu
.Senhor, dá-me paciência!
.Calma Nádia, respire fundo!
.Antes só que mal acompanhada
.Amanhã será um novo dia
.Fala sério!
.Quero ficar uma coroa gostosa (rsrsrsrs)

III- Sete coisas que faço bem
.Sorrir
.Ouvir
.Dormir
.Cozinhar
.Respeitar as pessoas
.Demonstrar meus sentimentos
.Beijar (adorooooo)

IV- Sete coisas que não faço
.Mentir (pra quê, se vão descobrir!)
.Intriga
.Comer ostra (Deus me livre)
.Beber e fumar
.Frequentar casa de vizinho (só dá confusão)
.Deixar pratos sujos na pia 
.Jogar lixo no chão

V- Sete coisas que me encantam
.Pôr-do-sol (fascinante)
.O mar (deslumbrante)
.Discrição (tudo de bom)
.Sossego (amo)
.Simplicidade 
.Honestidade
.Escrever (minha mania)

VI- Sete coisas que não gosto
.Solidão (forçada)
.Pessoas escandalosas e que falam gritando
.Pessoas negativas
.Sujeira
.Não suporto ciúme (falta de confiança)
.Injustiça
.Que me incomodem quando estou escrevendo

VII- Sete blogs para participar do Meme
Café entre Amigos - Patrícia Galis
Cozinha de Mulher - Sheila Antunes
Gracita Mensagens - Gracita
Magia da Donetzka -´Donetzka
Poesias e Prosas - Vilma Piva
Inspiração - Lis Fernandes
Folhas de Outono - Severa Cabral

Carinhosos beijos a todos,

Nádia Santos






quarta-feira, 5 de junho de 2013

De qualquer maneira

Sei que estás a minha procura...
Mas porque demoras tanto?
Tua alma sabe meu endereço...
Vem, que além do meu amor
Terás muitos adornos e adereços
Guardados, reprimidos, 
Sufocados, incontidos! 
E quando vier,
Venha de qualquer jeito...
Venha de qualquer maneira
E me ame como quiser,
Que tudo será permitido
E concedido e habitarás
Meu interior mais profundo.
Até que o pra sempre dure
Com nós dois fora desse mundo
Completamente perdidos!

Nádia Santos
05/06/13



Laços da paixão

Não foi bem assim...
Suave como uma brisa.
Não é do teu feitio... agora sei.
Foi como um furação
Que surgiste... devastador!
Jogaste-me ao chão
Para depois elevar-me,
Assanhar-me... inundar-me,
De uma louca paixão!

Espero por ti em silêncio
Aguardando o desenrolar do destino,
Tentando acalmar o coração
Que fica louco de emoção
Quando vem tua imagem na mente...
Ele ensandecido acelera,
O sangue fervilha,
O corpo arrepia,
A alma se desespera!

Vou sentindo-o em mim,
Já vou me sentindo tua,
De olhos fechados somo nós, enfim!
Presos estamos pelos laços da paixão
Amarrados de maneira sufocante
Unidos, envolvidos, perdidos
Enquanto te espero e me esmero
Amando-te num silêncio torturante!

Nádia Santos
03/06/13


terça-feira, 4 de junho de 2013

Como vou te esperar?

Quero te esperar meu amor
Mas não sei ainda como...
Talvez como uma mulher apaixonada
Que aguarda, impacientemente
Para dar-te um beijo ardente..
Ou talvez te espere, mas contida,
Como uma esposa dedicada,
Beijando-te amorosamente,
Oferecendo-te muitos carinhos,
Muitos afagos e um colo quentinho.
Mas, pensando bem, vou te esperar
No nosso quarto! Deitada na cama
Completamente nua, vestida de paixão, 
Como tua amante, tua fêmea
Destilando sedução!
Desejando sentir teu corpo
Teu cheio de homem
Que desperta em mim os sentidos
Deixando-me cheia de volúpia, 
Com nosso corpos colados e incontidos
Queimando no fogo da luxúria.

Nádia Santos
04/06/13

* * * * * * * * * * * *

*Aguardo a visitas de todos
ao meu blog de contos
para lerem:
"O sol, o mar e o amor no ar"
uma linda história de amor.
http://soltandoamente.blogspot.com.br/2013/06/o-sol-o-mar-e-o-amor-no-ar.html


A primavera chegou?

A primavera chegou? Não?!
O dia está tão esplendoroso
Iluminado, tão alegre!
Sinto uma brisa tão refrescante
Com cheiro de felicidade,
Com cheiro de amor!
Até os pássaros estão mais cantantes
As árvores e flores mais viçosas...
Há uma beleza diferente no ar!
Ah essa minha alma!
Sempre esperançosa,
Sempre a espera de coisas boas.
É assim que ela quase sempre desperta
Num doce aguardar de dias felizes
E sempre desejando que todos os dias
Sejam dias de primavera!
Nádia Santos
Recife – PE
02/06/13

domingo, 2 de junho de 2013

Sinta-me

* Para aqueles que tem um amor distante...

Se as vezes fores tomado pela tristeza
Pela apatia, desencanto e pelo desânimo
Não permita que se vá tuas tantas certezas
E entre elas, fica certo, que eu te amo!

Longe de tudo e de todos ao final do dia
Busca-me, sinta-me com os olhos fechados
Faz deste momento uma deliciosa fantasia
Que estarei com teus pensamentos sintonizados

Imagine nós dois passeando de mãos dadas
Pés descalços, caminhando pela praia
Contemplando as aves no céu e a revoada
Enquanto o sol fica da cor da paixão e desmaia!

Sinta-me em teus braços ternamente envolvida
Nossos corações repleto de amor e encanto
Enquanto bebemos inebriados a magia da vida
E não mais correrá em nossos olhos o pranto!

Sinta-me e veja nos meus olhos o desejo
Junto ao teu corpo fico ardente e louca
Sinta-me colando em ti, bebendo teu beijo
Enquanto se unem, ávidas, nossas bocas

E até que nos encontre, vamos assim sonhando
A sorrir, a cantar que a alma não se desespera
E se a tristeza, lentamente, chegar vá pensando:
Tenho minha amada que, feliz, por mim espera.

Nádia Santos
02/06/13





Vontade e saudade


Dos meus pensamentos, 
Dos meus sonhos
És dono e senhor absoluto,
E provocas os delírios
Mais loucos e ardentes.
Na minha vontade e saudade
Vejo-te, nitidamente...
O teu rosto sei de cor todos os traços
Os contornos dos teus lábios, 
Que beijo apaixonada e sedenta
Sentindo o teu sabor.
Teu olhar são duas chamas
A queimar minha pele,
Que procura teu corpo
Impetuoso, malicioso, delicioso,
E para ele me entrego
Intensa, ardente e dadivosa, 
Plenas, mulher e fêmea
Sem limites e sem barreiras.
Sou inteiramente tua e 
E tu és inteiramente meu,
Sendo tudo um para o outro
Sendo eu e tu, apenas um...
Nossas almas se abraçam,
Nossos corpos se entrelaçam
E juntos flutuamos até as nuvens
Enquanto me levas para dentro de ti
E o côncavo e o convexo se encaixam.

Nádia Santos
02/06/13

sábado, 1 de junho de 2013

Minhas marcas

Teu corpo, tão divinamente divino,
Fonte de todos os pecados,
Fonte de todos os desejos,
Fonte de prazeres indefiníveis,
Fonte inesgotável de infinitos beijos,
Tem caminhos desconhecidos
Pedindo para serem desbravados.
Segredo que pedem para serem desvendados.
Este corpo está sem identificação,
Precisa ser devidamente marcado e tatuado.
Falta nele, minhas digitais!
É preciso deixar neles as sensações e marcas
Dos meus dedos, de minhas mãos
De minha boca, de minha língua.
Do cheiro de minha pele
De todos os líquidos que por ti,
Meu corpo derrama...e se inflama!
Quero tatuar e marcar esse corpo teu,
Com as digitais desse meu louco amar.
Só assim poderei dizer
Enquanto estiveres nos meus braços
Que és somente meu!

Nádia Santos
01/06/13