quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Misturados

A madrugada calada, silente
Assiste a minha agonia...
É testemunha da vontade
Que devora meu corpo
De misturar-se ao teu
De entrelaçar nossas coxas
De lambuzar-te de minha essência
De encharcar-me com a tua
De banhar-me do teu suor
De deixar que bebas
Do meu desejo
Que eu beba do teu...
E entre abraços sufocantes
Arrepios delirantes
Entregues à vontade louca
Sentindo explodir o gozo
Enquanto se beijam
Ardentes nossas bocas...

Nádia Santos
01/11/13


2 comentários:

  1. Boa tarde querida Nádia!

    Que belo poema com muitos sabores "Misturados" banhos de suor, arrepios delirantes, Beijos ardentes, que amasso em!!! Gostei, ufa!!!

    Amiga muito lindo amei viu!

    Um abraço na alma!

    Um feliz-final de semana!

    Muito amor e .... Bjs!!!

    Maria Machado

    ResponderExcluir
  2. Fascinante em ternura, desejo e entrega...Sempre maravilhoso de ler este cantinho.

    Bom fim de semana
    Deixo abraço amigo
    *********************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos