quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Fome de ti


É à noite que meu corpo
Desejoso tem fome de ti
Querendo sobre o teu ser feliz...
E grito teu nome, num grito mudo
Mas tão intenso como o desejo
Que devora minha carne, meu ser...
Procuro por ti, em minha cama
Com minhas mãos ansiosas
Ardentes, voluptuosas
Por acariciar teu corpo nu...
Querendo tua boca gulosa
Para beber meu desejo...
Mas só encontro 
Um imenso deserto...
Oh noite fria não vem com 
Teu beijo gelado!
Nessa cama vazia adormecerei
Esse corpo desejoso de ser
Banhado, molhado
Pela essência vinda do corpo
Do meu homem... do meu amado...

Nádia Santos
30/10/13


5 comentários:

  1. Oi Nádia,
    Que poesia apaixonante, mas cheia de desejos insatisfeitos.
    Tudo está escrito. Um dia passa.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Carência pela ausência de uma paixão insatisfeita ou desejo infinito de entrega???
    Talvez as duas coisas insertas num poema sedutor, e muito forte nas palavras, qual grito, por um amor desejado, mas ausente...

    Deixo um abraço
    *****
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Nádia.. todos nós sempre vamos sentir esta fome de estar nos braços do outro, entrelaçados no calor dos corpos de preferencia nus.. bjs e um lindo dia amiga

    ResponderExcluir
  4. Amiga mil perdones!!!! tienes todala razón yo soy una vaga!!!! y despistada ehhhh, pero el cariño es grande trataré de enmendar mi error............... preciosas letras uufff duro esa cama vací ese beso helado bellísimo , besos desde mi brillo del mar

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos