segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Desejos de um coração

O dia se foi e o sol
Lentamente partiu,
Sem trazer-me notícia tuas...
A lua dengosa,
Faceira, formosa
Chama as estrelas
Que vão surgindo
Deixando o céu estrelado...
Enquanto o coração meu
Só deseja ouvir o som
Do teu coração batendo,
Doidamente,
Enquanto sufoca-me,
Docemente,
Nos braços teus.

Nádia Santos
05/10/13

7 comentários:

  1. Lindo poema... Que parece que escapa aqui uma saudade...
    Adorei
    beijinho

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Ah! que delicia! a gostosa sensação de deitar no peito e uvir o coração bater.
    Gosto muito, demais!
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
  3. Oi Nádia
    Como sempre arrasando nas poesias
    Beijos, linda!
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  4. Oi Nádia! Delicioso deleite me vem ao ser seus versos. A espera recompensada é o motor da felicidade!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Ser sufocada docemente, ô delícia. Lindos versos.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia querida Nádia,mais um poema lindo, com paixão ardente!
    É muito bom ser sufocada e ouvindo o coração amado, batendo doidamente!

    Uma terça-feliz!
    bjs

    Maria Machado

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos

Quem sou eu não caberia aqui... vai um pouco

Minha foto
Poesia pode ter regras e estilo, mas eu prefiro escrever sentimentos e este é rebelde, não obedece a nada. Quero escrever o que me vem na alma e coração. E quando alguém me ler, quero que essa pessoa pense ser ela a autora daquelas palavras, quero que nos misturemos, que ela sinta calor, desejo, arrepio, conforto, alegria e até chore... Porque sentimentos é para ser vivido e sentido. Se imaginar que não causei nada disso... para que escrever?

Eu, apenas uma mulher...

Eu, apenas uma mulher...
... que não sabe amar mais ou menos. Apenas uma mulher que se entrega profundamente e ardentemente ao sentimento, mesmo que se quebre toda... Só assim vale a pena amar.

Felicidade é...

Felicidade é...
... acordar todos os dias me olhar no espelho e ver a Nádia de sempre mas desejando crescer, melhorar. Abrir minha mente e meu coração para as diversas oportunidades e mudanças que a vida me oferece e poder ser um velho mas renovado ser. E assim, aproveitar a maravilha da vida que é VIVER. Nádia Santos

Apaixonados que me seguem

De onde vem os visitantes

Gira mundo