quinta-feira, 8 de agosto de 2013

O que fazer?

O que fazer, quando o nosso coração
É por alguém cruelmente machucado
Ficando num sofrer, numa consumição
Perdido, entristecido, desorientado?

O que fazer, quando o nosso coração
Por causa de alguém vil, mesquinho
Rouba nossa paz e nos deixa na aflição
Deixando-o sentir-se tão pequenininho?

O que fazer, quando o nosso coração
Dedica a alguém sentimentos nobres
Carregados de carinho, amor, afeição
E só recebe o desdém, se descobre?

Descobrir ser uma banal aventura
Um brinquedo, uma simples diversão
É algo que causa imensa desventura
E uma tristeza indefinível ao coração.

Mas este coração aparentemente
Frágil, sensível e muito delicado
Continuará a esperar ardentemente
Um coração sincero e apaixonado
 * * * * *

- O que mais existe nesse mundo
são pessoas que brincam com os
sentimentos alheios.

Nádia Santos
08-08-13

4 comentários:

  1. Oi Nádia!!

    Belo poema!!!

    Tenha um ótima noite!!

    Quando puderes vem me visitar:
    www.minhasinspiracoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. È uma poesia triste pela dureza das palavras. Um desabafo que faz do texto um grito de revolta. Bonito mas, diria, muito trsite,

      Excluir
  2. OI NÁDIA!
    UM TEXTO/DESABAFO.
    MAS TENS RAZÃO, PRINCIPALMENTE PORQUE QUEM SE APAIXONA, MUITAS VEZES SE FRAGILIZA E IDEALIZA O OBJETO DESTE AMOR, AI, O PERIGO DE SOFRER COM DECEPÇÕES QUE MACHUCAM FUNDO.
    LINDO POEMA
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. A conclusão é terrivel, para as coisas dos sentimentos.
    Sonha-se com um mundo de sintonia e respeito, mas o que se vê é esta desenfreada luta por um carinho.
    Poesia de força sentimental muito bem construida amiga.
    Abraços.
    Bjo

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos