segunda-feira, 12 de agosto de 2013

No teu ouvido


Queria que as águas
Deste meu rio 
Caudaloso, corressem
Ardentes e voluptuosas
Para o teu profundo 
E misterioso (a)mar... 
E depois de ardentemente 
Misturados, o doce mel 
Do meu corpo, com o sal 
Que é vida do teu, saciada
E intensamente amada por ti,
Diria, bem baixinho 
No teu ouvido, que te amo...

Nádia Santos
12/08/13

6 comentários:

  1. Boa tarde

    Simplesmente DIVINAL, poético, e sedutor

    Fica feliz

    ResponderExcluir
  2. Esse rio iria juntar-se ao mar,para
    desaguar em um amor de amar.

    Adorei seu poetar amiga Nádia.
    Bjs
    Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Nádia
    Todo rio desemboca no mar e na foz ele estará a sua espera para amá-la com paixão.
    Linda poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Nádia
    Maravilhoso poema, gostei.

    beijinho
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Olá Nádia; muito belo o poema...Espectacular...
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  6. Gosto da intensidade de sensualidade que coloca em cada poema, cada linha, cada desejo aflorado. Inspira, sabia?
    Gosto demais! Acho que não canso de dizer isso quando passo por aqui.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos