terça-feira, 9 de julho de 2013

Toma minha mão...

Não sei a vida que tu levas...
Não sei o que fazes e o que tens...
Se estás  assim... descontente
Deixa o medo de lado,
Larga tudo... seja ousado!
Sai da rotina que te escraviza...
Pára de se repetir...
Respira fundo... vira o jogo
A vida sempre convida...Vem se permitir!
Toma minha mão, estou contigo!
Que assim... juntinhos
Tudo terá outro sentido,
E terás meu ombro como abrigo.
Vem! Tenta... a vida pede renovação
E verás como vibrará teu coração...
Tenho o meu amor para te ofertar
Meus carinhos e cuidados terás constante
O meu corpo, o teu, deseja muito amar
E ficará tua nova vida mais excitante!

Nádia Santos
07/07/13

Tens medo da mudança, do novo?
Talvez o que esteja faltando na tua
vida seja este passo a mais, que
vai te virar do avesso e te levar
a viver novas emoções...
permita-se!





10 comentários:

  1. Olá, Nádia.
    Bom dia.
    Adorei vim ler, este seu poema. Com um clima de Esperança. Pra cima. Pra seguir a Vida. Para avançar.
    Parabéns.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia amiga Nádia,adorei ler. Beijinhos e boa semana para ti,fica com deus!! http://mafaldinhaarte.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Belo poema!
    Lembrou Edson Marques
    no poema Mude
    que diz que somente morto não muda.
    Bjins e linda terça-feira.
    Catiaho Alc./Reflexo d'Alma

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde

    Um poema que incita à mudança. Por algo correr menos bem não acaba o mundo, embora muitas pessoas se fechem demasiado com elas próprias, o que as faz sofrer.

    Ofereces a tua mão para caminhar a teu lado e o teu ombro amigo como abrigo.

    Já fostes à porta ver a fila???

    Adorei o poema....

    Fica feliz

    ResponderExcluir
  5. Bom dia!!!
    Passar por aqui todos os dias e ler o que seus pensamentos deixaram gravado, é emocionante e muuito bom.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Lindas palavras em poesia, existe sempre alguém com sorte para receber tamanho amor.

    Abraço

    ag

    ResponderExcluir
  7. Minha querida

    Que o medo de amar nunca nos faça deitar fora a felicidade a que temos direito.
    Como sempre um belo poema e um belo momento de poesia.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  8. Olá Nádia,

    Está de volta? Que bom...

    Bela poesia de amor...

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Olá Nádia que bom chegar aqui e ler uma bela perfeição. que seja sempre assim romântica e uma linda poetiza
    Bjuss
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Nádia! Seu texto é reflexivo. A quem devemos culpar pelos nossos fracassos senão a nossa própria inércia? Permitir-se é, de fato, o primeiro passo. Brilhante!
    Um abraço!

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos