sexta-feira, 26 de julho de 2013

Quando os sonhos se vão...


Adeus meu sonho

Abri a janela do meu quarto
E te vi meu sonho, partindo
Embrenhou-se na escuridão
E sem olhar para trás, foi indo

No quarto ficou um vazio
Nem mesmo ficou seu cheio
Para abraçar nas horas de frio
E senti-lo vivo no travesseiro

Nem mesmo molhou o lençol
Com a sua doce essência
Nem sua foto ficou comigo
Para eu lembrar de sua ausência

Adeus meu sonho, minha miragem
Adeus minha ardente fantasia
Levasse sem saber na bagagem
Meus sorrisos e minha alegria
* * * * * * * * *

Um sonho disse-me adeus

Hoje um sonho disse-me adeus...
Tentou ser sutil e carinhosamente,
Abraçou-me, disse não poder ficar
De mim desapartou e sumiu de repente

Tem sonhos, sabemos e pressentimos
Não vingarão, mas vamos alimentando
Dia a dia, sem querer ouvir a razão
Mas sentindo que estamos nos enganando

Ficamos sem encarar a realidade
Mas, enfim, é chegada a hora da verdade
E hoje, nesse dia chuvoso e fazendo frio

Mas um sonho, sem dó, me abandonou
E triste, meu coração e alma chorou
Diante do imenso e dolorido vazio...

Nádia Santos


3 comentários:


  1. desalento, desencanto, desespero...
    tempo de um tempo sem tempo
    para contemplar (-te)!


    há dias assim...



    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Tuas lindos poemas, amiga Nádia!
    Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia

    O desalento na imaginação
    De um amor tão sentido
    Deixa sempre o coração
    De desencanto...partido

    Mas óh Santa coincidência
    Surge uma mão, em nossa mão
    Que nos tira a desistência
    E nos une o partido coração

    Bom fim de semana

    Fique feliz
    **************************
    Se tiver um bocadinho de tempo, visite(m)-me...Obrigado

    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/




    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos