quarta-feira, 26 de junho de 2013

Um mar no caminho

Amo contemplar o azul do mar
Misterioso, fascinante, encantador
Os olhos não se cansam de admirar
Ora sua mansidão, ora seu furor

Mas por que ele é tão imenso?
Porque separa os apaixonados?
E seus sentimentos intensos
Morrem em suas águas afogados...

Muitos amores ainda persistem
Porém tantos, tristes, desistem
Quando vêem o mar no caminho...

Ficando os amantes a lamentar
Cada qual em um lado do mar
Ambos infelizes, tristes e sozinhos.

Nádia Santos
21/06/13

11 comentários:

  1. oi Nádia

    nossa que lindo, o jeito que escreve deixa fluir tão bem o seu texto, e lendo esse, senti uma saudade grande de ver o mar, pois ajuda sempre a gente pensar e renovar sempre.
    Blog lindo esse viu ^^
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Nádia
    Que beleza de texto, o mar é lindo mas traiçoeiro, pois já separou muitos casais.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  3. Nádia,

    Para amor de verdade não importa o tamanho do oceano.

    Senti a imensidão de cada linha... Lindo demais! Gr. Bj.!

    ResponderExcluir
  4. Que o amor então seja maior que o mar! Beijos, Nádia.

    ResponderExcluir
  5. Profundo, belo, apaixonante

    O Mar tem tanto de lindo como de assustador. Umas vezes traz a Paz e o Amor, mas também, acontece separar esses amores e trazer a tristeza. É, digamos, um misto de sensações olhar o mar.
    Penso que tem mais de belo do que assustador. Depende do contexto em que o olhamos, não é verdade.
    Gostei MUITO do poema. Fantástico sem dúvida

    Deixo cumprimentos
    ****************************
    Querendo, visitem-me

    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Maravilhoso, e triste ao mesmo tempo.
    Tenho muito respeito ao mar.. medo mesmo,
    Beijinho.
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/2013/06/mais-um-dia.html#comment-form

    visitem-me

    ResponderExcluir
  7. Belíssimo poema, Nádia.

    Beijão

    Excelente dia

    ResponderExcluir
  8. Adoro o mar, a brisa que vem das ondas... as espumas que se formam na areia quando ela vem forte e grandona...
    O mar é inspiração para grandes poetas, escritores incríveis, na imaginação plena de um momento vivido.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
  9. O mar e seus mistérios em ondas que surgem e desaparecem nas praias das nossas cogitações.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  10. Nádia lindo poema adorei mas também agora percebi porque que é que a Santa Nádia gostava de fazer sermões aos peixes.

    Sermão de Santa Nádia aos peixes

    Não tenhas medo de ti
    O medo é o vampiro da alma
    E sem alma és corpo em vácuo
    Morto no meio das gentes parafraseando a vida de outrem
    Aqui és transparente, invisível, branco, parede, branco neve, nada, nem coisa alguma
    Amas as tuas mãos? E os olhos?
    E o teu cheiro? E o teu sabor? A que sabor sabes?
    E o teu coração é vermelho sangue ou negro petróleo?
    Escolhe e sê a tua pessoa, gosta dessa pessoa, desse ser vivo em sentimento!
    Se não darás passos de caranguejo… e em frente onde ficará o foco?
    Ama os pensamentos da tua pessoa tal como amas os orgasmos desse corpo de desejo
    Acredita no tal positivismo de que todos comentam
    Aperta os sórdidos pensamentos contra ferro enferrujado
    Livra-te da depressão que te oprime para o fundo incolor do desespero
    Sonha e vive os sonhos, que der para viver
    O outro vivê-los-ás no sono pesado dos cansados músculos
    Amanheceu e respiro fundo, o ar vem bem no fundo dos meus pulmões
    Sinto o ar arranhando suavemente a pele dos mesmos dentro de mim
    Sinto-me nos Alpes e o ar é puro…
    A depressão morreu durante a noite
    As lágrimas secaram no deserto
    Volto a andar… como anda uma criança dando seus primeiros passos
    De quando em vez vou caindo mas logo me levanto e de seguida volto a tentar
    Desistir é palavra defunta
    Dei a volta ao mundo em 7 horas, acordei e renasci…
    Vou tentar a vida uma vez mais.

    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  11. Olá minha amiga Nádia!

    Que bom que já voltaste, fico feliz.
    Saudades de te ler, pois é sempre um prazer.
    Muito belo o soneto. Senti-me embalada nas ondas do mar.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    http://jakeemary.blogspot.com/2013/06/capitulo-4-praia-de-venice.html

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos