quarta-feira, 5 de junho de 2013

Laços da paixão

Não foi bem assim...
Suave como uma brisa.
Não é do teu feitio... agora sei.
Foi como um furação
Que surgiste... devastador!
Jogaste-me ao chão
Para depois elevar-me,
Assanhar-me... inundar-me,
De uma louca paixão!

Espero por ti em silêncio
Aguardando o desenrolar do destino,
Tentando acalmar o coração
Que fica louco de emoção
Quando vem tua imagem na mente...
Ele ensandecido acelera,
O sangue fervilha,
O corpo arrepia,
A alma se desespera!

Vou sentindo-o em mim,
Já vou me sentindo tua,
De olhos fechados somo nós, enfim!
Presos estamos pelos laços da paixão
Amarrados de maneira sufocante
Unidos, envolvidos, perdidos
Enquanto te espero e me esmero
Amando-te num silêncio torturante!

Nádia Santos
03/06/13


6 comentários:

  1. Bom dia Nádia.. seus versos são arrebatadores... voce se entrega a eles os vive em cada linha..linda esta tua visão sobre o desejo, amor, tá tudo mesclado bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo querido e obg por tuas palavras. Um beijo

      Excluir
  2. Oi Nádia! Descreveu o momento de espera com maestria. Mas, como dizem: o desejo é como a quimera, vem quando não se espera e, quando se espera, não vem.
    Delícia de versos!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por sua visita e comentário Augusto, bjus.

      Excluir
  3. Poesia reveladora de quem ama, só assim se consegue escrever poesia tão sentida com enormes sentimentos.
    ag

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos