sexta-feira, 7 de junho de 2013

Inquietude que me devora

Nas noites quentes em que a lua
Brilha nas silentes madrugadas
Banho inteiramente minha pele nua
De essências excitantes e perfumadas

Meus olhos refletem a luz do coração
Do amor que inunda-me intensamente
Adorno meu corpo de toda sedução
Vestindo-me com desejos ardentes

Meu corpo é volúpia, luz e aroma
Na inquietude que o devora e inflama
Da vontade da doação que louca irradia

De ter a pele por fortes mãos afagada
De ter a boca loucamente beijada...
Mas deito com a solidão que me agonia!

Nádia Santos
07/06/13


* * * * * *

Aguardo vocês para lerem
no meu blog de contos, minha
mais nova história de amor.
Clique no título para ler.
ESPERANDO O AMOR



5 comentários:

  1. Boa noite Nádia! Mais um belo soneto pleno e paixão, de ânsias de ser amada intensamente.
    Um abraço de Portugal.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Nádia.. acho linda a maneira como descreves os teus desejos sempre cultuando o corpo as ações.. uma linda noite bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Nádia
    Quanta dor...Quanta solidão!
    O mundo está aí para ser vivido, olhe ao seu redor, pois sempre haverá pertinho de você alguém que não observa e também sofre...
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  4. Belíssimo Soneto de amor e paixão...amor sofrido pela ausência...por um coração que pulsa e sente...:)

    Beijinho Nádia bom fim de semana...:)

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos