segunda-feira, 1 de abril de 2013

Crepúsculo cinzento

O texto abaixo, da maravilhosa Cora Coralina, vi numa postagem do Blog Infinito Particular, da nossa querida Malu, e o achei maravilhoso e com tudo haver com o poema que eu havia escrito, por isso querida amiga, peguei uma carona e o postei aqui.
                        
"Desistir... Eu já pensei seriamente nisso, mas nunca me levei realmente a sério; é que tem mais chão nos meus olhos do que o cansaço nas minhas pernas, mais esperança nos meus passos, do que tristeza nos meus ombros, mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça." Cora Coralina

                                   
Crepúsculo cinzento


Fui contemplar o crepúsculo
E o encontrei cinzento
Dá cor do meu pensamento...
O céu estava repleto de nuvens
Negras e carregadas
Logo passou uma brisa por mim
Que disse, suavemente:
Que assim,como em nossas vidas
De repente, passamos
Por momentos difíceis
Com dias que parecem noites
E noites ainda mais escuras
Assim também é o céu que às vezes
Torna-se escuro, assustador
Mas no dia seguinte o sol volta a brilhar
O crepúsculo a nos encantar
Trazendo ao coração esperança
E nos dizendo para jamais
Desistir de acreditar e lutar!

Nádia Santos
São Luis – MA
31-03-13


5 comentários:


  1. O Sol mesmo nos dias mais escuros, sempre acima da nuvens está a brilhar.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo que não vejamos o sol ele está brilha a dá-nos a luz da vida.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. òtimo texot de Coralina. Parabéns pela brilhante poesia!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia querida Nádia, passei para te dizer parabéns por tudo que está lhe acontecendo de bom, você merece, é uma pessoa muito especial! Gosto muito de você! Te desejo muitas maravilhas viu!

    Um abraço

    Maria Machado

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos