segunda-feira, 29 de abril de 2013

A dor da ausência

À noite, no abandono do meu 
Desassossego , quando a solidão 
Aconchega-se, sorrateira e envolvente 
O espaço desse quarto diminui 
Assustadoramente, parecendo 
Querer ao poucos sufocar-me... 
Na escuridão tateio o vazio na cama 
Em busca de calor, mas é em vão eu sei 
Minha procura e não encontrarei 
A ti, minha cura 
Encontro somente o travesseiro 
Mostrando-me toda a dor de tua ausência.
Resta-me adormecer com minha tristeza 
Abraçada com minha saudade 
Que hoje é a minha certeza... 
Nádia Santos 
Recife – PE 
29-04-13

8 comentários:

  1. Oi Nádia
    Eu também estou muito triste, parece que o mundo desabou na minha cabeça, mas eu não escrevo poesias tristes, pois elas irão entristecer mais meu coração.
    A desilusão, a tristeza, a decepção, um dia passará...
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh querida vc também, mas vai passar infelizmente a vida tem os espinhos também, não são só flores. Um bj

      Excluir
  2. Creo que la melancolía es contagiosa, yo estoy intentando escribir con otra energía pero mi ánimo está por el piso.
    Mil gracias por pasar a comentar Nadia, leerte es siempre un placer.
    Te dejo un fuerte abrazo, buen comienzo de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há momentos em que estamos assim, trites, melancólicos. Obrigada por seu carinho Cristina, um beijo para ti.

      Excluir
  3. Nada como um dia depois do outros...
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  4. Este poema falou diretamente com a minha alma.
    Um forte e carinhoso abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um beijo pra ti querido Antonio Carlos, obg.

      Excluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos