sábado, 23 de março de 2013

Grito teu nome

Tem noites que sinto-me só e abandonada
Deitada, na cama, permaneço na escuridão
E sou envolvida pela loucura dessa paixão
Que dilacera o corpo e deixa-me desatinada

E na penumbra da noite fria e silenciosa
Meu corpo desesperadamente deseja o teu
Enquanto cálidos e ansiosos, os seios meus
Desejam as carícias de tuas mãos carinhosas

Fecho os olhos e na lembrança te procuro
Tenho então a certeza de que preciso de ti
Da tua pele, teu cheiro, do teu louco sentir
Sem dormir grito, aflita, teu nome no escuro...
Nádia Santos
23/03/13

*Imagem do Google

11 comentários:

  1. BOA NOITE MINHA QUERIDA !
    SUAS POESIAS SÃO TÃO LIVRES QUE PODEMOS NOS APROFUNDAR,CHORAR COM EMOÇÃO E SORRIR DE ALEGRIA...
    BJSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Nádia. Como é ruim estarmos apenas com a lembrança da pessoa amada, dos toques, sem poder beijar, sentir o cheiro da pele, amar!
    Solidão assim, dilacera!
    Lindo amiga!
    Ah, acredito que você gostaria de ler "SEDUÇÃO CARMIM"
    Está abaixo do que postei hoje. Acho que lembra você, rs!
    Tenha um fim de semana bem quente, rs!
    Tudo de bom e beijos na alma!

    ResponderExcluir
  3. Precisa do amor....lindo.
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cristina! Que excelente poema para ser lido em uma noite de sábado. Adorei, como sempre, parabéns!

    Bjos e um ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  5. Belo,apaixonado.

    O amor nos faz sentir solidão,por vezes.

    Mas quem nunca amou,jamais viveu plenamente.

    Obrigada pela visita e ótimo fim de semana


    Donetzka

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga Nádia, tudo bem? Depois de um tempo estou voltando. Agradecendo, primeiramente, aos seus comentários que foram muito confortantes para mim, e mais uma vez pedindo desculpas por não tê-los respondido. Não ando muito bem, sinto muita ansiedade e também medo de quase tudo. Dizem que são sintomas de depressão, não sei o que é, só sei que é horrível; às vezes até começo a escrever alguma coisa, mas meu coração dispara e fico sem saber o que dizer, então, prefiro o silêncio. Temo, com isso, magoar os amigos (as) que são muito importantes para mim, mas, não é de minha vontade. Eu gostaria de postar meus poemas, comentar os poemas dos amigos e amigas, conversar, ser uma pessoa legal, mas não consigo; às vezes, tudo o que tenho vontade de fazer é se trancar dentro de mim mesmo. Quanto ao meu pai, ele está se recuperando dentro do esperado. Ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e como ele já tem 80 anos de idade, tudo se torna ainda mais grave; ele está em casa, não muito bem, ainda, mas, segundo o médico, sua recuperação está ocorrendo de forma rápida e animadora. (Ele teve o AVC no dia 8/3/2013, dia em que completou 80 anos. (Que belo presente a vida o deu, não?) Te agradeço do fundo do coração por se preocupar comigo e não deixar de visitar minha página, mesmo em minha ausência. Espero que um dia eu possa usar meu blog para postar coisas felizes e me divertir com todos vocês. Também enviarei este comentário para outras amigas e amigos e deixarei em meu blog, uma nova postagem em homenagem a um amigo que perdi há um ano. Te aguardo. (Desculpa se não disse coisa com coisa) Fique com Deus. Grande abraço do amigo Bicho do Mato.

    ResponderExcluir
  7. Porque metade de mim é partida,
    mas a outra metade é saudade...
    Oswaldo Montenegro


    beijao

    ResponderExcluir
  8. O ser humano tem essa capacidade de se reportar às lembranças para poder viver bem numa noite assim, quase solitária...
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Minha NÁDIA ...Como podes ser tão linda !!! Sentimentos a flor da pele ...que maravilha de paixão ...As vezes a saudade nos faz devanear sobre pétalas Um beijo Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  10. Linda escolha de palavras como sempre. Tenha um bom domingo, Nádia, bjs

    ResponderExcluir
  11. Poesia cheia de encanto e sedução, parabéns.

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos