sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Vem dançar...

Quero te convidar pra dançar...
A dança da volúpia e do prazer
E nesses braços quero me atar,
Pra enlouquecida... me perder!

Envolve-me ardente pela cintura
Aperta-me forte... tira-me o ar!
Entrego-me a essa doce loucura
Embriagada querendo te amar!

Nós dois e a dança do amor...
Passos perfeitos... cadenciados
Carícias concedidas sem pudor
Em corpos sedentos, excitados!

E nossas pernas rodopiando
Nessa dança de pura sedução
Nossas roupas vão se espalhando
E em nós explodindo a paixão!
Nádia Santos
10/01/13 











13 comentários:

  1. Belo poema...Espectacular....
    Saudade

    Saudade é solidão acompanhada,
    é quando o amor ainda não foi embora,
    mas o amado já...

    Saudade é amar um passado que ainda não passou,
    é recusar um presente que nos machuca,
    é não ver o futuro que nos convida...

    Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

    Saudade é o inferno dos que perderam,
    é a dor dos que ficaram para trás,
    é o gosto de morte na boca dos que continuam...

    Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
    aquela que nunca amou.

    E esse é o maior dos sofrimentos:
    não ter por quem sentir saudades,
    passar pela vida e não viver.

    O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.
    ~Pablo Neruda

    Cumprimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pelo seu lindo comentário. Um abraço.

      Excluir
  2. Bom dia,Nadia!

    Estou encantado com teu trabalho.
    Parabens
    Sinval

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei feliz com sua visita e muito agradecida por sua carinho. Um abraço.

      Excluir
  3. Que dança maravilhosa é essa a de amar.

    Beijinhos

    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infinitamente maravilhosa minha flor! Beijokas

      Excluir
  4. Mas que dança caliente!!! Um rodopio de palavras.
    Abçs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a dança dos amantes apaixonados minha linda. Bjus

      Excluir
  5. Uma dança muito envolvente e apaixonada. Um poema apaixonante. Beijos!
    Gracita

    ResponderExcluir
  6. Oi Nádia
    Essa dança está parecendo valsa, eu nunca soube dançar valsa. Um dia eu, e meu marido recém-casados fomos a uma baile num clube em Santo Santo André, queria conhecer o cantor Francisco Petrônio. Nós éramos o casal mais jovem. Todos quiseram dançar comigo era de tirar o chapéu, dancei com o protagonista pisei naquele lindos sapatos. Só sei que mataram a vontade só que saíram com os sapatos riscados.rsrs. Bem que avisei...
    Obrigada pela visita
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  7. No compasso e abraço que aquece, faz da dança o rodopiar dos sentimentos sensuais que belamente voce criou nesta contra dança,onde se roda até se perder em meios às mais doces caricias.Como é gostoso ler suas inspirações amorosas.Parabens sempre amiga.
    Um abração pleno de paz e luz em cada dia, que voce possa sentir a alegria de viver e estar no colo da poesia.
    Bjo.

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos