domingo, 20 de janeiro de 2013

Meu vício

Teu corpo é um oceano bendito
Aonde vou intensamente mergulhar
Mas é, também, o meu céu finito
Onde vejo estrelas e fico a flutuar...

Esse teu corpo tentador, viril, macio
Repleto de altos e baixos delirantes
É caminho vasto aonde me delicio
É onde me perco feliz e constante...

Teu corpo é monumento, é perdição!
Por ele e nele deliro, padeço na loucura
É meu mal necessário, minha tentação
É meu vício, minha doença, minha cura!

No teu corpo quero eternamente morar
Conhecer todos os cantos e recantos
É o espaço perfeito onde vou me aninhar
E que meu corpo necessita tanto, tanto...

No teu corpo sou tua fêmea voluptuosa
Adivinho teu desejo e sinto teu querer
Sinto-te meu homem em fúria ardorosa
Sinto-te pronto, pra neste instante morrer...

Nádia Santos
20/01/13

3 comentários:

  1. Bom dia, amiga. Que poema é esse? Certamente de tirar o fôlego!
    Gosto dos teus escritos porque são intensos e isso sempre me interessa tamanha entrega.
    Amiga, obrigada pelo carinho e amizade, como disse estou voltando aos poucos.
    Beijos na alma e tudo de excelente.

    ResponderExcluir
  2. Esqueci de dizer, que amei a roupagem nova que você deu ao blog. Ficou espetacular!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Pra mim, acertou demais na cor e em tudo.
    Como deve saber, amo vermelho, que está em bela sintonia aqui com as outras cores. Parabéns!

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos