terça-feira, 8 de janeiro de 2013

De olhos fechados...

Estou agora sozinha...
Meu olhar ansiosamente te procura
Vagando... aflito... perdido...
É em vão... tu não estás, minha cura.
E em mim vai persistindo essa loucura!
Chego a sentir teu perfume...
Doido, voluptuoso e envolvente.
Que inteiramente me embriaga,
Deixando meu corpo ardente...
Na intenção de mandar a tristeza embora,
Fecho os olhos por um instante...
Quero te sentir... na minha loucura...
Quero te encontrar... no meu desejo!
Toco meu corpo... com minhas mãos...
Sinto como se fosse as tuas,
E sou guiada por uma deliciosa sensação...
Vou acariciando minha pele,
Fazendo o caminho que tuas mãos
Conhecem tão bem...
E de olhos fechados me perco
Assim... quando não estás,
Lembrando do teu toque...
Que ao meu corpo apraz...


Nádia Santos
08/01/13



4 comentários:

  1. Mais uma maravilha que sai de seu coração que é só amor,Nádia!

    Parabéns,amiga!


    Linda semana!

    Bjs


    Donetzka

    ResponderExcluir
  2. Mesmo de olhos fechados enxergamos o amor. Linda a tua poesia, Nádia.
    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para quem ama nem mesmo a ausência os separa e os impede de sentir. Um abraço Tunin.

      Excluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos