quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Versos de amor


Ontem meus versos falaram de amor...
Hoje, de amor falaram os versos meus
E amanhã, de que falará meus versos?
Com certeza desse amor, que é teu!

Vou falar de desejo nos meus versos! 
Ah! Também ontem escrevi sobre desejo... 
Foi no momento que comecei a recordar 
Quando de manhã me acordaste com um beijo 

Saudade! Sim... escreverei versos de saudade! 
São os versos saudosos que me consolam 
Enquanto te espero chegar, no fim da tarde... 

Ah! Hoje meus versos falaram de ti... 
Mas falar de ti é falar de amor, querido 
Sem teu amor, seriam versos sem sentido

Nádia Santos 
São Luis-MA 
18/10/12 




Te amando...






A vida é um lindo jardim imenso
De um céu limpo de um azul intenso!
Todo esse amor já não cabe no meu peito
No meu coração está louco, transbordando
Escuto uma voz distante quando me deito...
É minh'alma gritando, o quanto está te amando!


Nádia Santos
São Luis-MA
31/10/12

Uma história de amor












Vem, amor... - José João

Vem, amor, não me faça esperar tanto
Não sei quem és ou onde possas estar
Mas sei que existes, meu coração diz
Te espero. Um dia haverás de chegar

Sinto teu perfume na brisa leve do mar,
Vejo tua silhueta no horizonte desenhada
Como se fosses um anjo, caminhando devagar
Me ensinando o doce prazer de esperar

Á! amor, que bom seria te botar no colo
Te fazer canção, até cantar pra você dormir
Velar teu sono e no teu sonho te ver sorrir

Vem, amor... há quanto tempo te espero tanto!
Gastei todos os sonhos pra sonhar contigo
Agora, amor... me resta apenas te ver comigo

*************************************************










...cheguei! Sou teu presente - Nádia Santos

Me perdoa amor por ter te feito esperar tanto
É que eu também estava louca te procurando
Sei que por vezes duvidaste de minha existência
Mas eu exito! Espera amor, estou chagando!

Pedi tantas vezes a Deus para te encontrar...
Que minha alma saia totalmente desesperada
Enquanto dormia, meu corpo ela abandonava
E a procura da tua, ela saia desarvorada...

Amor, espera... continua sonhando!
É que encontrei dificuldades no caminho
Não demora e logo estaremos, enfim, juntinhos!

Agora esquece amor, todo tempo de espera
Olha pra mim... cheguei! Sou teu presente
Te amo, e juntos ficaremos eternamente...

São Luis-MA
22/10/12

domingo, 28 de outubro de 2012

Arrepios

Encontrei o céu nos teus braços
E neles tentei entregar os meus cansaços...
Mas pousaste sobre mim os olhos teus
Trêmula, emudeceu minha boca
Arrepios frementes me deixaram louca
E a chama do desejo se acendeu...

Nádia Santos
26/10/12

sábado, 27 de outubro de 2012

Falsa frieza

Sou como um vulcão, silencioso e frio,
Adormecido?! Por dentro, grito em louco cio!
Queimo, intensamente de paixão
Nessa tranquila e aparente sensatez
Bastando teu toque para explodir o tesão
Entregando-me ao êxtase com avidez!

Nádia Santos
26/10/12

Novo presente



Tive a alegria de receber novamente este selo, 
agora fui presenteada por José João, este que
para mim é a própria poesia. Obrigada querido
pois sabes o tamanho da importância que tens
em minha vida. Obrigada de coração!

Nádia Santos
27/10/12

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Vontade

Muitas vezes, sem esperar
Algo estranho vem de repente
Me toma intenso e arrebatador
Deixando o meu corpo ardente!

É algo que me faz sorrir
Sinto intensa felicidade
Ou faz descer meu pranto
Quando sinto por ti saudade

O canto suave de um pássaro
E até a brisa leve que passa
Deixa minh'alma cheia de graça

Toda essa emoção vibrante
Que estremece meu coração
É vontade de ti minha paixão!

Nádia Santos
São Luis-MA
26/10/12


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Dedicatória









Não pensava em escrever versos
Falando de amor e de paixão
O que vem na minha alma confesso
Deixando transparecer meu coração

São versos carregados de ardência

Com intensa cor da rubra rosa
Escritos para despertar indecência
Sob o encanto da lua misteriosa

Se são poucos os versos que te escrevo

É porque ainda não disse enfim
Os outros, que guardo dentro de mim...

Cada verso que por mim for escrito

E cada poesia que for terminada
Serão todas amor, a te dedicadas!

Nádia Santos

São Luis-MA
10/10/12

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Cheiro do amor


Sinto o cheiro de amor no ar...
Sinto no corpo o cheiro de desejo
É o perfume inebriante da paixão
Que me envolve quando te vejo

Esse cheiro de desejo me acompanha
Está em minha pele impregnada
Com a lembrança da noite de amor
Que fica no meu corpo tatuada

Roupas tuas jogadas no chão
Teu perfume pelo quarto flutuando
Sinto tão intenso nos travesseiros
O teu cheiro forte me embriagando

Por toda casa tua presença
Tua lembrança, teu cheiro lascivo
Ocupam o vazio de minh'alma
E do meu coração que é de ti cativo!

Nádia Santos
16/10/12


terça-feira, 23 de outubro de 2012

Meu mal... minha paz

Deliro com essa avalanche de sensações 
E me deixo ser levada, demente e passiva 
Meu corpo vibra com tantas emoções 
Deixando alucinada, minha alma lasciva! 

Gosto intensamente dessa inquietação
Essa vontade doida de gritar, de falar... 
Essa tortura sem fim, essa doce aflição 
De dizer o quanto é grande o meu amar 

Adoro o desassossego em mim fremente
Quando sinto no meu corpo as tuas mãos 
Maliciosas, tão quentes que lentamente 
Vai se vestindo o meu corpo de excitação 

Viajo, quando pela nuca me seguras...
Sinto meu corpo elevar-se às alturas 
Fico entorpecida, rendida, ensandecida 
Toda entrego-me, fazendo loucuras... 

Amo quando provocas em mim tempestade
Toda a agitação que causas no meu interior 
E toda essa imensa paz que me invade 
Quando coloca-me no colo e falas de amor! 

És o meu mal mais que vital...
És a minha paz necessária, essencial 
És a minha luz e minha escuridão 
És o caminho à vida e à perdição! 

Nádia Santos
23/10/12










Sobre nosso lençol


Quando de negro se cobrir a noite
Depois de assistir ao pôr-do-sol
Te esperarei impetuosa e ardente
Deitada sobre nosso lençol...

Será uma noite de pura fantasia
Nos meus braços te prenderei com ardor
E por toda madrugada te darei alegria
Te farei delirar com meu sabor...

Enquanto a noite for se recolhendo
E o mundo for adormecendo aos poucos 
Um no outro vamos nos perdendo...

Já com a aurora apontando lentamente
Ao som de pássaros cantando como loucos
Saciados dormiremos... finalmente...

Nádia Santos
19/10/12

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Diferente

Não sou e não quero ser normal!
Todos os dias ser a mesma?!
Agir e pensar todo dia igual...
Nossa! Que monotonia!
Ser sempre certinha.
Andar sempre na linha...
Só de pensar, me enfastia!
Não tenho medo de mudança,
Não suporto intransigência!
Minha mente está sempre aberta,
Gosto de novas experiências!
O feio pode passar a bonito,
O não pode virar um sim,
O indecente pode ser revisto...
Pouco importa o que pensem de mim.
Sou como as quatro estações:
Ardente e quente como o verão.
As vezes triste, chorosa...
Como tardes de inverno...chuvosa!
Noutras sou melancólica...
Como as tardes de outono.
Mas a maior parte dos dias,
Sou como a primavera...
Cheia de vida e alegria!
O mundo me pede transformação...
E eu mudo! Mas não mudo a essência.
E com cuidado, para não perder a razão.
Apenas me informo e...
Informada, me transformo...
Transformada... sou diferente,
Sou especial, sem igual...
Ah! o que não quero é ser normal!

Nádia Santos
20/10/12

Nos permitindo sonhar














Nossos caminhos se uniram
Felizes, agora somos nós
Corremos de mãos entrelaçadas
Pois não mais estamos sós...

Sonhar agora nos permitimos

Nos deixamos levar pelo vento
E do tempo fazemos nosso espaço
E nele brincamos, desatentos...

Brincamos de namorar, de amar

De nos doarmos inteiros e plenamente
Dando à fantasia asas prateadas
E vivermos lindos sonhos intensamente

Apenas nossos olhos falam...

Nossas bocas emudecem...
Pois os olhares expressam o desejo
Que a nossos corpos enlouquecem

Não há palavras, apenas sussurros

Cândidos ou indecentes, nos entontece
Mas nossos corpos, unidos é poesia
E nossa entrega... uma ardente prece!


Nádia Santos

São Luis-MA
22/10/12
                                          

domingo, 21 de outubro de 2012

O amor e o medo

O amor é sentimento que dá medo e receios
Por ele vibro em indescritível felicidade
Ou estremeço, em doloridos anseios
E perturbações em grande intensidade!

Tenho medo de mergulhar no meu eu
E espantosamente não me encontrar
De ver apenas uma sombra procurando
A luz intensa dos teus olhos para me guiar...

Me dá medo, quando sinto o corpo em chama
Essa chama que só teu corpo pode apagar
Dessa fome e sede de teus beijos... tamanha!
Que só tua boca quente e lasciva, pode matar...

Medo desse sentimento que a alma arranha
Dessa saudade que sinto quando não estás perto
Desse frio cortante que me rasga as entranhas
Brigando com a solidão, me sentindo num deserto

Quero sentir medo até meu último suspirar
Quero a esse medo ardentemente me entregar
Ser dele toda dependente, sofrer e até pecar
Porque o pior dos medos, é o de não amar...


Nádia Santos
São Luis-MA
21/10/12

sábado, 20 de outubro de 2012

Quando...







Não sei se guardas também
A mesma vibrante recordação
Quando do nosso primeiro beijo
Flutuei... tomada pela emoção

Foi um sentimento intenso
Que de repente nos envolveu
Quando então me abraçasse
A paixão em nós acendeu

Da volúpia dos nossos carinhos
Nossos ardentes beijos
Quando enfim ficamos juntos
Afloram tantos desejos...

Mãos desvendando caminhos
Nossos corpos em convulsão
Quando já voluptuosos
Nos amamos com paixão

São momentos de beleza
Que na mente vamos guardando
E com carinho revivemos
Só não sabemos... até quando...

Nádia Santos
São Luis-MA
06/09/12

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Preciso...












Quando não estás por perto
Na hora que se deslumbra o arrebol
Sou como flor que entristece pendida
Se despedindo dos raios do sol...

Assim como a flor precisa de luz

Para se manter sempre viva
Preciso de todos os teus beijos
Para alimentar minha alma lasciva!

Sou tua flor mergulhada em quimera

Bastando o teu sorriso e teu olhar
Para pensar que todo dia é primavera!

Para viver, a flor precisa de água e calor

Também necessito... de mais um pouco...
Preciso de carinho... preciso do teu amor!


Nádia Santos

São Luis-MA
17/10/12

Sou menina











Nos teus braços me encontro
Quando me sinto perdida
Sem receio me abandono
Me sentindo, enfim, protegida

Esquecida por momentos a fêmea

Sou menina só querendo atenção
Teus carinhos me afagam a alma
Acalmando ternamente meu coração

No teu colo me aconchego com jeito...

Momento em que me deleito
Apoiando a cabeça no teu peito

Docemente me permito envolver

Por este amor que alimenta meu viver
E completa, inteiramente, meu ser


Nádia Santos

São Luis-MA
04/10/12

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Jeito de ser mulher


Quando quer é competente....
Veemente, eloquente,
Persistente, insistente,
Literalmente!
É dengosa. carinhosa,
Melindrosa, chorosa.
Cheia de artifícios...
Faz parte do ofício!
Excita, grita,
Palpita, agita.
O faz quando quer...
Para o bem viver!
Sabe com candura
Sempre com ternura...
Ser carente, dependente,
Inocente, envolvente...
Sabe conseguir o que quiser,
Com seu jeito sedutor,
Com seu olhar provocador,
Com seu charme de ... 
Mulher!

Nádia Santos
São Luis-MA
15/10/12

Denuncia

Meus queridos amigos, seguidores e visitantes,  hoje tive 
um imenso trabalho fui ao Google, através de formulário 
próprio e denunciei três (3) blogs que estavam   repletos 
de poesias minhas conforme já mencionei  em  postagem 
anterior. Existem outros, eu sei, mais a  partir  de  agora 
será assim que agirei com esse  tipo  de  pessoa....  digo, 
parasita. E sempre que encontrar esse tipo de blog,farei
postagem dando os links para que todos que me  visitem 
possam se prevenir.
Um beijo grande a todos.

Nádia Santos

15/10/12

domingo, 14 de outubro de 2012

Por que roubam nossas crias?










De repente, como num pesadelo
cruel e terrível, vemos nossos filhos,
nossas crias sendo de nós tomadas,
arrancadas, sem dó nem piedade!
Tiram-lhes a maternidade.
Sua certidão de nascimento é falsificada,
mas sua essência, sua alma ficam ali, intactas!
Mudam o nome de nossos filhos e dão para eles
outro pai... outra mãe... Por que fazem isso?
Por que roubam nossas poesias, nossos filhos!
Filhos sim! Poesias pra mim são como filhos,
que parimos num momento especial de nossa
vida... momento só nosso! Que dividimos, 
compartilhamos com todos, mas que não 
queremos ver roubadas, alteradas, cinicamente...
Cadê o caráter e a dignidade de quem faz isso?
Será porque querem aplausos, elogios, atenção?
Será que pessoas que agem assim conseguem
pousar tranquilamente a cabeça no travesseiro 
e dormir o sono dos justos?
Tua alma, teu coração, teu cérebro são estéreis.
Não conseguem produzir, nem criar nada...
Ah! Tens a essência tão ínfima, pobre criatura,
és frustrada e amargurada...
Mas tua atitude repugnante e desprezível
não ficará eternamente encoberta...
Cedo ou tarde muitos irão descobrir teu ato de horror.
E tua farsa e tua máscara cairão... PLAGIADOR!


São Luis-MA
14/10/12

sábado, 13 de outubro de 2012

Meu oceano

Teu corpo, divino, é meu oceano
Excitante, misterioso, quente...
Nele ouso mergulhar profundo
Nadando em anseios ardentes...

Sobre este mar antes tão calmo
Se forma um furacão devastador
São nossos corpos sedentos em delírio
Se entregando loucamente ao amor

Entre carícias e beijos se afogam
Corpo e alma levados por ondas de fogo
Homem e mulher em delirante jogo...

Depois de embarcar em devaneios
De navegar em tempestuosas fantasias
Nos deixamos levar pela calmaria...

Nádia Santos
13/10/12

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Maturidade






Já vai distante ela...já vai distante!
Deixando saudade e inquietude...
Lá vai tão ardente, tão vibrante,
Deixando-me. Lá vai minha juventude!

Ela partiu e me fez sentir diferente
Impondo-me mudanças e transformações
Entregue à maturidade, e mas experiente,
Fez-me descobri novas e forte emoções

Minha alma vibrando e intensa
Meu corpo queimando em ardência
Minha boca em quantidade imensa
Deseja teus beijos cheios de indecência

Na maturidade uma paixão eu vivo
De entrega ardente sem restrição
De momentos alucinantes e lascivo
Fazendo vibrar corpo, alma e coração.

Nádia Santos
22/09/12

Um abraço...





Queria acordar todos os dias
E te ver deitado ao meu lado
Com a imagem que me dá alegria
Que é o teu sorriso iluminado!

Receber teu carinho matinal
Teu abraço transmitindo energia
Não tem nada que se faça igual
A teus beijos, no iniciar do dia

Mas saísse sem um leve rumor
E não me desse teu abraço
Nem falasse no ouvido de amor...

Esperarei pra desfrutar do teu regaço
Saudosa aguardarei que chegue a noite
Ansiosa para receber... um abraço...

Nádia Santos
10/10/12 


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Não demora...

Em teus braços sinto calor
E de tudo o mais eu esqueço
Envolvida em nosso amor
Sou tomada de intenso calor
E de tanto desejo enlouqueço

Repouso sobre teu corpo quente
Deito a cabeça no teu peito
Enquanto um calor ardente
Incendeia esta paixão fremente
Nos teus lábios de fogo me deleito

É só por ti que arde esta chama
E também este sonhar louco
Se a labareda da paixão te inflama
Vem depressa para a nossa cama
E mais encontrarás, se achares pouco...

Nádia Santos
10/10/12

terça-feira, 9 de outubro de 2012

As paralelas... em versões diferentes


Paralelas - José João da Cruz Filho

Caminho marcado por passos cansados
De rastros caídos, deitados no chão,
Mostrando o conflito em idas e vindas
Como se a distância não tivesse mais fim.
Dois pés que caminham marcando a areia
Numa ida constante deixando para trás
As marcas deixadas assim como trilhas
A outros dois pés em vinda ou procura
Que também como trilha seu rastro deixou.
Caminhos contrários, direções diferentes
Como setas lançadas que se cruzam no espaço
E perdidas de si no tempo e vão.
Passos em linhas e em retas se fazem
Jamais se encontram o destino não quis
Quanto mais deixam rastros
Os passos cansados, mais distantes estão,
Como se o desencontro por si só não bastasse
Lhes fazem da vida, duas retas quaisquer
Que nunca se encontram por tão paralelas.

Blog: http://jjcruzfilho.blogspot.com.br
*************************************
Quando se tocam as paralelas - Nádia Santos

Por tempos andei por estradas
De trilhas sinuosas e escuras 
Gritando aos céus orações descrentes
Chorando por minhas desventuras...

Andava como louca... a vagar
Na alma, um profundo vazio
Para achar meu olhar no teu olhar
Enfrentei chuva, tempestade, estio...

Será que não vou te encontrar?
Que estamos na mesma direção?
Como paralelas que nunca se tocam
Nossos destinos jamais se cruzarão?

Mas as paralelas enfim se tocaram
E assim o milagre então se fez
Agora estamos juntos, apaixonados
Como nos contos do: "Era uma vez..."

Caminhando de mãos dadas
Seguindo na mesma direção
Numa estrada florida, iluminada
Num amor puro, de alma e coração!

Grito mudo

Meu corpo em frêmitos, te deseja
E o teu cheiro de homem nele tão vivo
As tuas mãos é o que ele mais almeja
Despertando desejos lascivos...

Meus olhos te buscam, insistentes...
A tua ausência muito me enlouquece
Sinto louca fome... sinto sede de ti...
Um sentimento intenso me entorpece

No desespero grito... grito veemente!
Mas no silêncio o meu grito se perde
E só minha alma alucinada percebe...

E que o eco desse grito saudoso e ardente
Se faça chegar intenso até tua alma, amor
Também meu desejo e ouças meu clamor!

Nádia Santos
09/10/12

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Frêmito


Olha no fundo dos meus olhos
E verás escrito em rubra cor
O tamanho de minha paixão
E como é intenso o meu amor!

Sentirás que meu coração é teu
Que é por ti que meu corpo estremece
Quando acolhida em teus braços
Um desejo louco me entorpece

Num estremecimento de ansiedade
Entrego a ti, repleto de anseios
Este coração palpitando no meu seio

Sou envolvida nesta sedução que extasia
São abertas as portas do desejo
E são libertas nossas fantasias!

Nádia Santos
08/10/12

sábado, 6 de outubro de 2012

Meus devaneios



As vezes me vem tantas perguntas...
Quem eu sou na realidade?
Quero saber a verdade!
Mas a resposta... me assusta...

Sou tudo e não sou nada...
Louca e apaixonada?
Talvez caçadora de sonhos...
Ou uma mulher ousada?
Continuo na vida procurando
Tentando eu... me achar
Pensando que num outro
Pudesse eu, me encontrar...

Não sei bem quem sou
Mas será preciso saber?!
Basta ter paz, alegria e amor
Habitando dentro do meu ser

Quem sabe finalmente assim
Procurando calmamente
Encontre meu Eu serenamente
Repousando dentro de mim...

No horizonte, sempre a brilhar
Vejo uma luz me encantando
Vou continuar a ela buscando
Quem sabe lá, eu vá me encontrar...

Nádia Santos
São Luis-MA
06/10/12

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Prisioneiros da paixão

Eu e tu em beijos quentes
Corpos nus... encaixe profundo
Entregues à volúpia indecente
Envolvidos loucamente
Enquanto dorme o mundo...

Mãos que aumentam maliciosas
A chama que faz crescer o desejo
Despertando ânsias libidinosas
Dominados pela paixão ardorosa
E bocas sedentas de beijo

Nossos corpos em louca agonia
Confusão de pele, suor e cheiro
Que se misturam em plena sintonia
São momentos de intensa magia
De amantes pela paixão, prisioneiros!

Nádia Santos
05/10/12

Sem repressão

Causa-me loucas sensações
A suavidade dos dedos teus
Viajo, misturando-me às estrelas
Com teu toque no corpo meu

Teus olhos cheios de curiosidade
Percorrem, ágil, minha anatomia
Buscam o que só eles sabem
Causando-me deliciosa agonia

Entrego meu corpo ao teu prazer
Não resisto quando impetuoso me beija
Aos teus carinhos não posso me conter
Sou a amante, que muito te deseja

Entre a realidade e a fantasia
Extravasamos nossa louca paixão
Deliro quando em nossa cama
Ardentes, nos amamos sem repressão

Nádia Santos
05/10/12

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Mensageiro do amor



Imagino Cupido...
Um anjo gordinho
Bochechas rosadas
Com lindos cachinhos

A pele bem alva
Cabelos loirinhos
Sorriso cheio de luz
E brilhantes olhinhos

Simpático e alegre
Risonho, brincalhão
Mensageiro divino
Espalhando união

Suas flechas carregadas
Do nobre sentimento
Tentando unir pessoas
Incansável... sedento!

Ah simpático anjinho!
A ti devoto o meu louvor
Desde que sua flecha
Me uniu ao meu amor!


Nádia Santos
30/09/12

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Coração apaixonado









A felicidade e ti
Formam  perfeita união
Só depois que te conheci
Palpita feliz meu coração

Se vejo o dia mais belo

Se vejo a noite mais estrelada
Se vejo o pôr-do-sol singelo
É porque estou apaixonada!

A brisa passa a cantar

Com os pássaros forma sinfonia
As árvores parecem bailar
Espalhando ao mundo alegria

A lua, as estrela, o mar

Sentimentos e emoções vividas
Ganham sentido se fito o teu olhar
Vibrando ardentemente a vida!

Já não consigo mais ouvi

Quando me fala a razão
Pois é surdo eu descobri
Meu apaixonado coração

Queria gritar com intensidade

Que ao mundo se fizesse ouvir
Que toda essa minha felicidade
É querido... tão somente por ti! 

Nádia Santos

13/09/12

Mistérios da alma












A minha alma deixou meu corpo inerte e viajou...
Deixou-me dormindo, e flutuando se afastou...
Como num filme, via tudo acontecendo
Tudo sentia, mas o domínio do corpo fui perdendo

De pé, depois de flutuar, minha alma se colocou

Aqui está ela: a voz de alguém anunciou
Abri os olhos e fui tomada de muito pavor
Pessoas nuas, enlameadas o meu corpo tocou

Fechei os olhos e desejei, desesperadamente, gritar

Que lugar horrível, minha alma veio ficar...
Era tudo cinzento, sombrio, apavorante...
Pessoas enlameadas me agarravam insistentes!

Supliquei à Deus : Me tira desse lugar!

Me tira daqui! Tenha de mim piedade!
Por que estou neste lugar infernal?
Quero um jardim, flores, tenho necessidade!

De súbito, fui tirada daquela agonia

Aos pouco sentia que uma luz me envolvia
Minha alma ao meu corpo retornou
E lentamente no meu corpo se instalou...

Que lembranças sombrias minha alma guarda?

Por que para aquele lugar tenebroso foi levada?
Espero que a vida venha me responder
Por que esse mistério, eu preciso entender...

- Foi um pesadelo terrível e muito intrigante.


Nádia Santos

Recife-PE
02/05/12

Gosto de falar de ti...


Gosto de falar de ti à noite
Tão negra como teu lindo olhar 
Até a lua com sua luz brilhante
Encantada, vem me escutar!

Pára a brisa que suave passa
Aproxima-se, atenta a me ouvir
Digo-lhes que quando me abraças
Meu coração se põe doido a sorrir

Confesso à lua por ela fascinação
Que sua luz nos inspira fremente
Incendiando nossas noites de paixão

Falo dessa paixão que não é pouca...
Quando saio como louca de repente
Necessitando dos beijos de tua boca!

Nádia Santos
São Luis - MA
03/10/12