terça-feira, 6 de novembro de 2012

Languidez



Na magia que envolve a noite
Em sua silenciosa languidez
Quero cair rendida de cansaço
Desfalecer em teus braços outra vez

De amor profundamente suspirar
Esquecendo de vez os queixumes
Sentir meu coração a palpitar
Inebriada por teu louco perfume

E o jardim que tenho em minh'alma
Repleto de botões de rosa carmim
Se abrem, quando olhas para mim...

Encantada minha boca emudece
Acordando minh'alma lasciva
Quando me beijas, sou de ti cativa...

Nádia Santos
São Luis-MA
16/10/12

7 comentários:

  1. Excelente poema. Tens uma sensibilidade lírica indelével... Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Marcos, seja bem vindo ao meu cantinho. Volte sempre. Bom dia!

      Excluir
  2. Muito lindo e precioso querida amiga ...Um belo Beijo Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  3. Oi Nádia.
    Seu poema é de uma sensibilidade encantadora minha amiga. A amizade é um dos grandes e valiosos bens que acumulamos em nossa vida. Ter a sua amizade é maravilhoso! Beijos fofinhos no seu coração.
    Gracita

    ResponderExcluir
  4. Nádia,
    É tão belo deixar-se cativar dessa maneira. No cansaço, no abandono.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Obrigada ReltiH, volte mais vezes, um abraço!

      Excluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos