sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Sem repressão

Causa-me loucas sensações
A suavidade dos dedos teus
Viajo, misturando-me às estrelas
Com teu toque no corpo meu

Teus olhos cheios de curiosidade
Percorrem, ágil, minha anatomia
Buscam o que só eles sabem
Causando-me deliciosa agonia

Entrego meu corpo ao teu prazer
Não resisto quando impetuoso me beija
Aos teus carinhos não posso me conter
Sou a amante, que muito te deseja

Entre a realidade e a fantasia
Extravasamos nossa louca paixão
Deliro quando em nossa cama
Ardentes, nos amamos sem repressão

Nádia Santos
05/10/12

3 comentários:

  1. Este pensador, viajeiro entre Sois
    Esta Ave pousada em mil embarcações
    Esbarco que passa sem vela ou remo
    Esta arca repleta de vibrantes emoções

    Esta mestiça flor de açafrão
    Este ramo de espinhos cravados na mão
    Esta alma que não ousa largar opinião
    Este homem vestido de solidão

    Bom fim de semana

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  2. Adorável! Como todos os outros poemas!

    ResponderExcluir
  3. muito lindo minha amiga Nádia um belo dia pra vocês !!! Acho que hoje te mando a prova da sua música ....com um grande beijo Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos