quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Papel em branco

Não encontrava a inspiração
Nenhuma frase se formava
A poesia insistia em nascer...
E o papel em branco continuava...

Em branco estava minha mente
Inquieto estava o meu coração
A poesia queria muito nascer...
Um papel em branco era visão

Tentei escrever uma frase, duas
Mas tristemente nada consegui
Desejava escrever poesia alegre
Não veio a inspiração... desisti...

A poesia que eu tanto desejada
Assim no tempo ela se perdeu
E o poeta triste, sem inspiração
Nem ao menos um verso escreveu

Nádia Santos
19/09/12






Um comentário:

  1. Que pena minha querida ...mas é verdade ...a emoção é na hora !!! não dá para traduzi-la depois ...Mas tudo bem outras sempre virão são como ondas no mar ...!!! Com um grande beijo Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos