segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Quando morre um sonho...


Não sinto saudades de um sonho falecido
Se não aconteceu, talvez eu não o tenha merecido
Nem sinto piedade pelo sonho moribundo
Sonhos nascem, morrem e continua a girar o mundo.
Se um dos meus sonhos morreu, 
Digo pra ele... adeus!
De que me adianta sofrer, se ele não sobreviveu?
Se às dificuldades e às desilusões ele não resistiu
Talvez não me fizesse feliz, por isso, que bom que partiu
Só me resta, sem queixumes, à resignação
Um sonho abortado faz parte da vida, é provação!
Peço ao Pai que alimente minha esperança
A cada amanhecer novo sonho, e com ele a bonança
Quando nasce um novo sonho
Meu espírito se entrega inteiro e risonho
Assim como o mar na areia alegre deita
Assim como as estrelas, brilhantes, o céu enfeita
Cada sonho sonhado trás sentido à vida
Alivia uma dor adquirida e ajuda a cicatrizar ferida
Mantém acesa a chama que me guia
Sonho e vida se renovando, a cada novo dia.

Nádia Santos
São Luis - MA
25/03/12

2 comentários:

  1. Lindo! Belas rimas.
    Uma ótima semana pra ti!

    ResponderExcluir
  2. Minha querida ...que belo ... desejos que seus sonhos se realizem você merece viu Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos