quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Como num filme

Se nosso quarto pudesse falar
Quantos segredos tinha para contar
Quantos devaneios foram ditos
Momentos de ardor, seriam descritos

As paredes guardam nossos gemidos
Os nossos sussurros de prazer incontido
Tantos suspiros e ais estão empregnadas
Palavras sem nexo por nós pronunciadas

E a cada instante de paixão e delírio
Com nossos corpos suados, molhados...
Ficou o cheiro do nosso amor espalhado!

Surgem no teto do quarto imagens de magia
E lentamente,como num filme antigo e mudo
Quando sozinha, fixo o olhar e, revivo tudo!

Nádia Santos
27/05/12

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos