quarta-feira, 18 de julho de 2012

Essa dor...



Queria arrancar do meu peito
Essa dor que sinto agora
Queria sumir, desaparecer
E esquecer o mundo lá fora...
Esquecer os meus medos
Esquecer até quem sou
Quem sabe esquecendo tudo
Não sinto essa forte dor...
Que dor é essa?
Que dilacera minha alma
Perturba meu corpo
E me tira a calma... 
Será a dor de pensar
Que por um motivo banal
Fiz sofrer quem amo
Causando-lhe decepção e pranto?
Essa dor doida...
Que sem piedade me assombra,
Cercando-me de sombras,
Ressuscitando medos antigos
Recordações já enterradas
Que faziam de minha vida
Sem sentido, sem graça!
Oh dor cruel...
Vou jurar-te agora
Pedirei perdão ao meu amado...
Assim tu vais embora?

Nádia Santos
Recife-PE
02/09/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tua visita e teu comentário são para mim motivos de alegria e são muito gratificantes, mas por favor, procure comentar apenas o conteúdo da leitura. Espero que encontre aqui algo que te conforte e te deixe com a alma mais leve ou... ardente. Volte sempre! Com carinho... Nádia Santos